Marcação Online
Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

BLOG

Dores de dentes, nunca mais!

By Maria João Fernandes | 08/01/2020

Dores de ouvidos, de cabeça, ou dor de dentes… Só quem passa por isso é que sabe como este tipo de dores nos afeta, nos deixa cansados, e até irritados — uma vez que acaba por comprometer a nossa rotina e as nossas atividades do dia-a-dia. O que mais queremos é livrar-nos delas — mas por vezes, temos que ficar atentos às causas, e não apenas aos sintomas.

No caso específico da dor de dentes, é um sintoma que afeta crianças, jovens e adultos até uma idade mais avançada e as causas são bastante variadas, podendo, por vezes, indicar doenças que precisam de avaliação e tratamento profissional.

As principais causas que vamos abordar neste artigo são as que têm origem na própria boca, como uma cárie, sensibilidade dentária ou gengivite mas também traumas e acidentes que podem afetar a dentição.

Antes de tudo, é importante entender que o dente é formado por partes:

  • Raiz – é a parte que dá estabilidade ao dente e fica dentro dos ossos da boca;

  • Esmalte – é a parte externa, sendo a mais dura do corpo humano;

  • Dentina – parte que fica entre o esmalte e a polpa, também muito dura, e que absorve os impactos externos;

  • Polpa – é a parte viva do dente, cheia de terminações nervosas e vasos sanguíneos. É a polpa que nos dá sinais importantes através da dor.

 

Conheça os diferentes tipos de dor de dentes!

  • Sensibilidade momentânea a alimentos quentes e frios, que pode ser causada por uma leve corrosão da gengiva ou alguma exposição da raiz. Também pode ocorrer após algum tratamento dentário que acabe por afetar a polpa.

  • Dor ao morder algum alimento – indica corrosão do esmalte dos dentes, um dente rachado ou até mesmo quando um dente está um pouco solto.
  • Dor que se prolonga – quando comemos alimentos quentes ou frios e depois de alguns segundos a dor de dentes permanece, é sinal de que a polpa do dente está danificada e pode ser necessária alguma intervenção profissional.

  • Dor mais aguda, seguida de inchaço da gengiva e sensibilidade – podem ser sintomas de problemas inflamatórios, como a gengivite.

  • bruxismo causa uma dor mais específica, que afeta a arcada inteira – causando pressão e inclusive dores de cabeça.

 

É importante entender quais as causas destes tipos de dor de dentes e como tratá-las:

  • Uma das causas mais comuns para a dor de dentes são as cáries – que são resultado da falta de higiene oral e do consumo abusivo de alimentos e bebidas açucarados. A cárie começa com pequenos orifícios no dente que ficam cada vez mais fundos pela corrosão das bactérias, atingindo a polpa do dente e causando dores durante a alimentação.
  • O desgaste do esmalte do dente também causa dor, por deixar o dente exposto, sem proteção e, consequentemente, mais sensível. Esse desgaste ocorre pela ingestão de alimentos abrasivos, como os refrigerantes. Quando escovamos os dentes de forma errada também prejudicamos o esmalte. E, por fim, branqueamentos feitos sem acompanhamento profissional também podem ser a causa do desgaste do esmalte dentário, acabando por causar dor.
  • A retração nas gengivas, provocada por inflamações como gengivites e periodontites, também causa dor de dentes, necessitando de acompanhamento profissional para que o problema não se agrave e conduza à perda dentária. Nesses casos, o problema começa nas gengivas e nos ossos, devido à presença de placa bacteriana.
  • Por fim, citamos os dentes rachados ou partidos devido a algum acidente, queda, ou simplesmente por morder algum alimento demasiado duro. Esta situação pode expor a polpa e ser a causa de uma dor de dentes.

 

O que devo fazer?

Observe o tipo da dor que sente e as possíveis causas mencionadas acima.

Ao sentir dor de dentes, a primeira coisa a fazer é ir ao médico dentista para que este possa fazer o diagnóstico do seu problema e indicar qual o tratamento adequado para o seu caso. Entretanto, pode sempre recorrer a um analgésico mas a visita ao dentista é fundamental, especialmente para evitar que o problema se agrave e que o tratamento seja mais complexo.

 

Dicas para aliviar a dor de dentes:

  • Às vezes, a causa da dor de dentes pode ser o resto de algum alimento que ficou preso entre os dentes, acabando por causar irritação ou inflamação. Experimente passar o fio dentário no local da dor e escovar os dentes  — a tendência é que a dor alivie.
  • Uma técnica caseira muito simples e que também é bastante recomendada é bochechar água com um pouco de sal. Esta solução ajuda a limpar a boca e a combater micro-organismos causadores da dor. Para fazê-lo corretamente, siga os seguintes passos: dilua 1 colher de chá de sal num copo de água. Faça bochechos de 1 em 1 hora, durante 30 segundos. Atenção: não engula a água.
  • Faça compressas com gelo: para ajudar a aliviar a dor de dentes mais rapidamente, pode colocar uma bolsa de gelo no rosto, próximo à área que está dorida. Tenha cuidado para não queimar a pele com o gelo. Tente aplicar durante 15 minutos e repita o procedimento 3 vezes durante o dia. Observe se os sintomas aliviam.
  • Outra técnica caseira que ajuda a aliviar a dor de dentes é usar cravo-da-índia. Sim! O cravo-da-índia tem propriedades analgésicas e anti-bacterianas, ajudando a combater infeções e a aliviar a dor e a inflamação. Para utilizá-lo, há duas opções: em óleo ou o próprio cravo. No caso do óleo, deve-se colocar diretamente no dente inflamado 3 vezes ao dia com a ajuda de um cotonete — ou molhar uma gaze limpa num pouco de óleo essencial de cravo-da-índia e massajar a gengiva à volta do dente afetado. Outra forma de aliviar a dor de dentes é mastigar 1 cravo-da-índia: com a sua ação antissética e o ato de apertar o cravo entre os dentes, pode ajudar a combater o desconforto causado por uma dor de dentes leve.
  • Use analgésicos — dependendo da causa da dor de dentes, pode ser o único método que trará alívio para a dor enquanto não vai ao médico dentista. Opte pelo analgésico que costuma utilizar no seu dia-a-dia.

Lembre-se! Nenhuma destas dicas substitui uma visita ao médico dentista da sua confiança. 

Por isso, se perceber que estas dicas não ajudaram a aliviar a dor de dentes ou se estas se agravarem, não adie a sua ida ao consultório do dentista. Quanto mais rapidamente diagnosticar as causas e tratar corretamente o seu problema dentário, mais depressa evitará que a situação se agrave e que a solução seja mais complexa e demorada.

 

Recordamos que a dor de dentes pode ter causas simples, mas também pode ser um sintoma de gengivites e periodontites, doenças que podem conduzir à perda dentária.

Cuide da sua saúde oral!

Relacionado
Dicas
Afinal, o que é a COVID-19 e como nos podemos proteger?
By Cátia Aguilar | 20/03/2020

Ultimamente, o tema mais falado em todo o mundo é o novo coronavírus, que provoca a doença COVID-19. Trata-se de uma doença infeciosa que foi identificada pela primeira vez em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na China. Apesar de já ser conhecido, nunca tinha sido identificado em seres humanos.

Ainda há muitas coisas por descobrir sobre a COVID-19, mas já há uma série de informações que podemos partilhar consigo, para que se possa proteger a si e aos outros.

 

 

Como se propaga a COVID-19 e como podemos evitar a infeção?

 

Neste momento, muitos portugueses se encontram em isolamento, por questões de segurança. Esta é a melhor forma de evitar o contágio, uma vez que ainda não existe uma vacina preventiva disponível.

Como este coronavírus se espalhou muito depressa por todo o mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que nos encontramos perante uma pandemia.

Uma pandemia é uma epidemia que se alastra ao mesmo tempo em vários países. Por sua vez, uma epidemia acontece quando uma doença ocorre com frequência invulgar numa determinada região e por um período limitado. Como já teve oportunidade de perceber, graças à COVID-19, encontramo-nos numa situação de crise global. Todos, sem exceção, têm sido afetados, incluindo os nossos pacientes, uma vez que, por questões de segurança, não podemos manter as nossas clínicas abertas.

Os médicos dentistas são dos profissionais da área da saúde que estão mais expostos, correndo um risco agravado de contaminação, pela forma como a COVID-19 atua.

 

A propagação

A fonte da infeção ainda é desconhecida, mas já sabemos que este coronavírus se transmite através do contacto com pessoas infetadas. A propagação dá-se através de gotículas do nariz e da boca provenientes de alguém que tenha COVID-19. Essa contaminação pode ser feita de 2 formas:

  • Direta – quando, através de um espirro ou tosse, as gotículas de uma pessoa infetada pousam em nós e as inalamos, ou quando entram em contacto com os nossos olhos, nariz ou boca;
  • Indireta – mesmo que não entremos em contacto direto com uma pessoa contaminada com COVID-19, caso esta tenha deixado gotículas em superfícies ou objetos onde, posteriormente, toquemos, podemos “transportar” o vírus até aos nossos olhos, nariz ou boca.

É por este motivo que, para evitar a infeção, devemos redobrar os hábitos de higiene, lavando frequente as mãos, para além de evitar tocar na cara (olhos, nariz e boca).

 

Os sintomas

Algumas pessoas são assintomáticas, o que significa que não apresentam sintomas. Esta situação é mais perigosa, porque as pessoas pensam que não têm COVID-19 e, afinal, são veículo de transmissão da doença. E, mesmo quando há sintomas, desde o contágio até que estes se manifestem, o período médio é de 5 dias, mas pode ir até 14.

Os sintomas mais frequentes são:

  • Tosse
  • Febre
  • Fadiga
  • Falta de ar, em casos mais graves, podendo levar a pneumonia

Outros sintomas menos frequentes são os vómitos, diarreia e dores no corpo.

 

Fortalecer o organismo

Há cuidados que devíamos ter sempre, mas aos quais damos mais atenção quando estamos em situações mais frágeis. Por isso, talvez esta seja uma boa altura para repensar os seus hábitos alimentares, de forma a que o seu organismo esteja preparado para lutar contra as ameaças exteriores e mais facilmente se livre de qualquer tipo de doença. Alguns cuidados simples, mas importantes, passam por:

  • Beber muita água;
  • Excluir alimentos com glúten, açúcar, caseína (proteína do leite) e outros elementos que inflamem o intestino;
  • Dar prioridade a alimentos orgânicos, sem aditivos e outros elementos tóxicos;
  • Incluir na alimentação diária legumes, vegetais de várias cores, gorduras saudáveis (ovos, peixes gordos do mar, sementes, frutos secos, azeite, abacate, óleo de coco, etc.).

Manter um estilo de vida ativo, praticando exercício físico – que consiga fazer em casa – também ajuda a manter um equilíbrio físico e emocional, livrando-se do stress, melhorando a qualidade do sono e permitindo que continue em forma!

 

 

Cuidado! Nem tudo o que tem ouvido dizer é verdade!

 

Infelizmente, para além de informações importantes e relevantes, também têm circulado outras que induzem as pessoas em erro e que são completamente falsas! Tenha muito cuidado, porque algumas delas até podem ser perigosas para a saúde.

 

Antibióticos

Os antibióticos não matam vírus, apenas bactérias. Uma vez que a batalha que estamos a travar é contra um vírus, não vamos conseguir combater o COVID-19 com antibióticos.

 

Termómetros

Não, os termómetros não identificam pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. Como sempre fizeram, os termómetros medem a temperatura do corpo. E, mesmo que uma pessoa tenha febre, não significa que tenha COVID-19.

 

Distância

Há quem afirme que, através de espirros e tosse, o vírus pode “saltar” até 8 metros, mas essa informação não é verdadeira. No máximo, as gotículas atingem 1 metro, daí que seja essa a distância de segurança recomendada.

 

Encomendas

Graças a estudos feitos a outros coronavírus, descobertos antes da COVID-19, que este tipo de vírus tem um tempo de vida limitado, quando está em objetos. Por isso, com o tempo de viagem, o vírus deverá morrer até chegar a si.

 

Vacinas

Ainda não há uma vacina para a COVID-19, pelo que as vacinas contra a pneumonia ou outras doenças não têm qualquer utilidade para combater este vírus. Será necessário desenvolver-se uma vacina específica.

 

Alho

Ainda que seja um superalimento e de ter propriedades antimicrobianas, não há qualquer indício de que o alho combata a infeção deste coronavírus.

 

 

Mesmo longe, continuamos perto de si

 

No meio de tanta informação e contrainformação, há algo que é bem verdade: é importante que #FiqueEmCasa! Pode não ser muito fácil, mas é de extrema importância!

Mas apesar de termos as nossas clínicas fechadas, não nos esquecemos de si e de como a sua saúde oral é importante. Por isso, mesmo não podendo estar consigo fisicamente, arranjámos forma de o acompanhar e de esclarecer as suas dúvidas sobre saúde oral, à distância. Durante este período de quarentena, os nossos médicos dentistas podem falar consigo através de videochamada, para esclarecer dúvidas e ajudar a afastar receios que possam existir. Este serviço é seguro, online, não tem custos, e pode falar connosco no conforto do seu lar!

Fale com os nossos médicos dentistas. É online e sem custos!

Descubra as peculiaridades do sorriso de cada signo
By Paula Chiodo | 18/03/2020

Somos seres únicos, com sorrisos únicos. Cada expressão e cada sorriso carregam uma marca, demonstram e representam a nossa verdadeira personalidade. Existem tipos diferentes de sorrisos, como os mais tímidos, os espontâneos, os retraídos, os do canto da boca e até sorrisos apaixonados. E há muitos fatores que os diferenciam, tanto que até o sorriso de cada signo é diferente!

Independentemente do tipo de sorriso, o que sabemos é que todos eles fazem muito bem, tanto à nossa saúde física como à mental. Sorrir traz benefícios comprovados cientificamente.

O importante é sorrir, não importa como. Não devíamos passar sequer um dia sem sorrir, pois a importância do sorriso na nossa rotina é muito significativa.

Sabia que há características diferentes, exclusivas de sorrisos de pessoas do mesmo signo?

Mas, afinal, o que são os signos?

 

sorriso de cada signo

Naturalmente, já deve ter ouvido falar das características dos signos, do zodíaco e da astrologia e até da astronomia.

A astronomia é uma ciência natural que estuda os corpos celestes (como estrelas, planetas, cometas, nebulosas, aglomerados de estrelas, galáxias) e fenómenos que têm origem fora da atmosfera da Terra. Já a astrologia é uma área que estuda a forma como os corpos celestes influenciam as vidas das pessoas, as suas personalidades e os acontecimentos no nosso planeta.

O zodíaco é o conjunto de constelações que ficam num caminho visível que é percorrido pelo Sol durante o ano.  A palavra tem origem na expressão grega zodiakos kyklos, que significa “círculo de pequenos animais”.

E aquilo a que chamamos de signo é, na realidade, o signo solar, que é determinado pela posição em que o sol está em relação à Terra no dia em que nascemos. O signo indica características da personalidade das pessoas, o que pode ser uma ótima ferramenta no processo de autoconhecimento.

Além do signo solar, existem outras influências, como o ascendente e a lua, que são identificados através dum mapa astral que, para ser feito, necessita de informações como a data, a hora e o local de nascimento.

Existem 12 signos solares, aproximadamente um para cada mês do ano. E, para cada signo, há uma maneira de ser e uma forma de sorrir diferente.

O sorriso de cada signo

Carneiro

sorriso de cada signo

Os carneiros entusiasmam-se muito com a vida, estão sempre abertos a novas experiências e são caracterizados por terem muita iniciativa. Tudo isto confere aos carneiros um sorriso sedutor e inesquecível. É, sem dúvidas, um signo que sorri com os olhos.

Touro

sorriso de cada signo

Calmos e persistentes, os touros não se costumam irritar com facilidade. São pessoas práticas, apaixonadas e carinhosas. Tendem a apreciar a arte e são zelosos com os seus recursos pessoais. O touro gosta de explorar os cinco sentidos, e com o sorriso não é diferente: o sorriso do touro é intenso e muito expressivo!   

Gémeos

sorriso de cada signo

Os traços mais fortes dos gémeos são a sua intelectualidade e intuição. Além disso, são pessoas alegres e divertidas, mas que têm a fama de ser inconstantes, inclusive no humor. O sorriso da alguém que seja gémeos é inesperado, mas pode ter a certeza de que quando ele aparece é sempre muito contagiante e verdadeiro!

Leia mais: O seu tipo de sorriso aproxima ou afasta as pessoas?

Caranguejo

sorriso de cada signo

Graças à sua personalidade amável, o caranguejo tem sempre um sorriso no rosto. São pessoas emotivas, sensíveis e que se preocupam com os outros. Ao sorrir, as pessoas do signo caranguejo costumam demonstrar toda a sua energia verdadeira e amável.

Leão

sorriso de cada signo

É fácil confirmar como o sorriso do leão é confiante, que é uma característica de pessoas com uma autoestima elevada. É o rei da selva, que com o seu sentido de humor e magnetismo pessoal natural, consegue cativar, encantar e divertir quem está ao seu redor. Não espere nada menos do que sorrisos calorosos e acolhedores de uma pessoa deste signo.

Virgem

sorriso de cada signo

São pessoas organizadas, práticas e diretas que estão constantemente à procura da perfeição. Sentem-se realizados quando são produtivos. É um signo leal e que expressa sorrisos “moderados” quando está com pessoas que não conhece. Mas quando está perto dos seus conhecidos, sorri sem medo!

Se tem evitado sorrir, vale a pena conhecer os benefícios deste gesto simples.

Balança

sorriso de cada signo

Está a ver aquele sorriso lindo? É o sorriso da balança. Irresistível e impossível de passar despercebido. As pessoas deste signo são empáticas, diplomáticas e são muito voltadas para os outros. Muita dessa dedicação ao outro está no seu sorriso, que é quase como um presente para quem tem a possibilidade de o ver e receber.

Escorpião

sorriso de cada signo

Pessoas do signo escorpião têm uma confiança e intuição natural, conseguindo ler nas entrelinhas. Têm uma habilidade de se reinventar, mudar a rota e o rumo sempre que preciso. O seu sorriso transmite tudo isto com muita sedução, e até quando dão uma gargalhada transmitem uma energia cativante.

Saiba se o seu sorriso está preparado para tudo isto!

Sagitário

sorriso de cada signo

Espírito livre, aventureiro e de riso fácil. O sagitário é um signo bem-humorado, brincalhão, está sempre a sorrir, até em situações mais sérias. Para estas pessoas, sorrir é fácil e natural, o que transmite toda a jovialidade característica do signo. São pessoas positivas, alegres, extrovertidas. 

Capricórnio

sorriso de cada signo

Determinação e maturidade são características do capricorniano. São independentes e batalham para construir o seu próprio caminho. Por serem pessoas com um grande foco profissional, a sua sensibilidade nem sempre é percebida, mas as pessoas deste signo sorriem com o coração e de forma sentida.

Temos dicas sobre como identificar um sorriso apaixonado!

Aquário

sorriso de cada signo

A criatividade, a inovação e a independência são fortes traços do aquariano. Pessoas com o sol em aquário saem-se bem na resolução de problemas, devido à sua forma criativa de pensar. Elas têm uma maneira única de ser e de se expressar, e o seu sorriso segue essa lógica, sendo despojado e radiante!

Peixes

sorriso de cada signo

Quem tem o sol em peixes segue o seu próprio ritmo. São pessoas calmas, tranquilas e profundas como as águas do mar. Têm uma forte intuição e captam as informações "no ar". Compreensivos, sensíveis e empáticos, os peixes têm um sorriso charmoso e misterioso, que muitas vezes aparece "em câmara lenta".


É sempre bom lembrar que o sorriso deve fazer parte da nossa vida todos os dias. Se não tem sorrido, é bom perceber porquê. Como anda o seu sorriso? Conte-nos nos comentários!


A nossa missão é manter os sorrisos saudáveis. Saiba mais sobre nós

implantes dentários
As dúvidas mais comuns em Implantologia
By Maria João Fernandes | 03/03/2020

São cada vez mais os portugueses que aderem à colocação de implantes dentários para substituição dos dentes em falta. No entanto, são ainda muitas as dúvidas relativas à origem e procedimento dos implantes dentários.

É por isso importante que antes de colocar implantes dentários, se informe sobre a segurança da técnica utilizada, e de que forma vão beneficiar a sua saúde oral a longo prazo. Aproveite e esclareça agora todas as suas dúvidas!

 

O que é um implante dentário?

O Implante é  uma estrutura de metal feita em titânio, compatível com o corpo humano. O implante dentário é um parafuso que é colocado dentro do osso, de forma a mimetizar uma raiz dentária. Sobre o implante é colocado uma coroa ou prótese fixa.

 

Até que idade se pode colocar Implantes dentários?

A idade ideal nas mulheres é a partir dos 18 anos e nos homens a partir dos 16, desde que tenham os ossos completamente formados. No entanto, a avaliação individual é importante para detetar qualquer tipo de contraindicações.

 

Colocar implantes dentários causa dor?

Não. A cirurgia de implantes é realizada sob efeito de anestesia local.

 

Quanto tempo dura um implante? 

O Implante dentário dura para o resto da vida. Por conseguinte, é de extrema importância a colaboração do paciente com hábitos de higienização oral, não tabágicos e de manutenção de forma a aumentar a longevidade dos Implantes.

 

Os implantes são 100% seguros para o paciente?

A taxa de sucesso correspondente à colocação de Implantes dentários situa-se entre 95 a 98% e os poucos problemas que podem surgir aparecem de forma isolada, como por exemplo, a má higienização, capaz de causar doenças periodontais (na gengiva) devido à acumulação de bactérias, exatamente como acontece com os dentes naturais, e não devido ao material ou à técnica utilizados.

 

É necessário fazer a manutenção dos implantes?

Quando se colocam Implantes dentários devemos efetuar um cuidado diário se queremos o sucesso do tratamento. Tal como com os dentes naturais é necessário escovar as próteses sobre implantes após cada refeição e passar o fio dentário ou o irrigador bocal junto aos implantes de forma a eliminar a placa bacteriana presente. São também necessárias consultas de controlo (de seis em seis meses) de forma a avaliar a saúde dos implantes colocados e poder fazer uma limpeza mais completa das próteses, bem como a manutenção das mesmas.

 

Quanto tempo dura a cirurgia de colocação de Implantes Dentários?

O tempo de cirurgia depende de vários fatores, mas, normalmente, no máximo 1 hora é suficiente para a colocação de um implante.  Se tivemos em conta uma ROTA (Reabilitação Oral Total Avançada nas duas arcadas), esta dura aproximadamente 3 a 4 horas.

 

Quais são as diferentes fases de um tratamento com Implantes Dentários?

As fases são 4 : Planeamento, cirurgia, reabilitação protética e manutenção.

O tratamento inicia-se, sempre, através de uma correta avaliação. Em seguida, o paciente passará por uma consulta pré-cirúrgica, onde será avaliado, tendo sempre a saúde geral em consideração. A intervenção, propriamente dita, é precedida de uma medicação pré-cirúrgica, reduzindo assim o risco de infeção e inflamação e de forma a evitar a dor pós-cirúrgica. Serão explicados, ao pormenor, os cuidados pós-operatórios e o paciente regressa a casa. Fará depois consultas de controlo, enquanto se aguarda a osteointegração. Começa então a fase protética, que termina com a colocação das coroas ou das próteses protocolos em caso de ROTA. Na última fase, é efetuada a manutenção, que consistirá num controlo anual na nossa clínica.

 

Porque é importante a consulta de avaliação?

A consulta de avaliação é fundamental no processo de reabilitação com implantes dentários. É nesta consulta que o paciente tem o primeiro contato com o médico e com o ambiente envolvente, sendo este contato muito importante para que haja uma familiarização com o médico, o espaço e com os passos a seguir no futuro tratamento. É nesta fase que o médico faz uma avaliação da cavidade oral do paciente e dos exames complementares de diagnóstico, possibilitando, desta forma, a elaboração de um plano de tratamento individualizado e adequado.

 

Quais as vantagens da colocação de implantes dentários para o dia-a-dia?

Os implantes são a solução protética que melhor se aproxima do dente natural. A função mastigatória, com este método, é restabelecida até 95%. Outros benefícios são o conforto estético e psicológico que a colocação de implantes possibilita ao paciente.

 

Os diabéticos podem colocar implantes?

Podem, se tomarem os devidos cuidados. Os pacientes diabéticos têm menos capacidade de suprimento sanguíneo o que se traduz numa maior dificuldade de cicatrização, verificando-se este fenómeno quando a doença não está controlada. Posto isto, é importante que o paciente perceba que estas limitações podem influenciar o tratamento e que não subestime a doença que tem, devendo assim ser regrado na medição dos níveis de glicémia e na toma da medicação antes, durante e após iniciar o tratamento com implantes.

 

Qual é a influência do tabaco neste tipo de tratamento?

O tabaco é uma influência negativa na reabilitação com implantes dentários.  Para que o implante se integre no osso e se mantenha, é necessário haver um bom porte sanguíneo. Este é dado, em grande parte, pelos pequenos vasos existentes na mucosa oral em redor do local implantado. Os produtos resultantes da combustão do tabaco vão danificando e destruindo estes vasos podendo levar à perda do implante.

 

Hoje em dia, não existem mais motivos para negligenciar a sua saúde oral.

Através do PNID, pacientes que perderam toda a sua dentição têm agora a oportunidade de restabelecer a estética e função mastigatória, recuperando a autoestima há muito perdida.

 

Dê hoje o primeiro passo para um novo sorriso e para uma vida nova!

 

 

Quer receber conteúdos exclusivos, promoções e novidades que o vão ajudar a conseguir um sorriso de sonho?

Subscreva a nossa newsletter.