Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

BLOG

Escovas e pastas de dentes: o que escolher?

By Cátia Aguilar | 25/09/2019

O mercado está inundado de escovas e pastas de dentes diferentes, o que levanta a questão: quais devemos escolher? Entre escovas elétricas e manuais – que podem ser suaves, médias e duras – as opções são infindáveis!

No que diz respeito às pastas de dentes, há as branqueadoras, com flúor, as que diminuem a sensibilidade dentária, as que tratam as doenças periodontais e, claro, as infantis!

Para facilitar a escolha, vamos explicar os benefícios de cada tipo de escova e pasta de dentes, assim como em que momentos deve optar por cada uma.

 

A importância da escovagem

Não podemos falar de escovas e pastas de dentes sem mencionar a importância da escovagem. A dupla formada pela escova e a pasta de dentes são a fase mais importante e básica da higiene oral, porque é através da escovagem que se elimina a maior parte da placa bacteriana.

Sabia que, com este simples ato de prevenção, evita vários problemas orais? Começando com questões simples, como o mau hálito, e terminando em problemas mais complexos, como a perda dentária, a escovagem dos dentes permite que tenha uma saúde oral cuidada.

Como mencionado, o mau hálito é um problema que pode ter origem na falta de escovagem dos dentes. Temos que nos alimentar mas, para além dos benefícios de comermos, a cada refeição que fazemos acumulam-se detritos entre os dentes, começamos a ganhar placa bacteriana e ficamos com a boca amarga. Por isso, torna-se necessário que seja feita uma limpeza regular da boca.

Doenças como as cáries, gengivites e periodontites também podem ser mantidas à distância com a escovagem dos dentes. Quando os ácidos, que surgem da decomposição das bactérias, dissolvem o mineral dos dentes, dão origem às cáries. Por sua vez, a acumulação de placa bacteriana junto das gengivas, pode provocar a sua inflamação (gengivite) que, se não for devidamente tratada, pode passar para os tecidos que rodeiam os dentes (periodontite).

Com a destruição dos tecidos que suportam os dentes, qualquer uma das 3 doenças acima mencionadas pode evoluir para a perda dentária, seja pela queda “natural” do dente ou por se chegar a um ponto em que seja necessária a extração do mesmo.

E estes são só alguns exemplos mais comuns que podem prejudicar a sua saúde oral, pelo que convém que dê mesmo muita importância à escovagem dos dentes. Mas, antes de falar das várias opções de escovas e pastas de dentes existentes, é importante saber como deve ser feita a escovagem dos dentes.

 

Dicas para uma escovagem correta

Existem várias técnicas de escovagem dos dentes. Mas, para não causar confusão, vamo-nos debruçar apenas sobre uma delas, que é a mais transversal e que, à partida, é correta e eficaz para a generalidade das pessoas. De qualquer forma, se achar que a sua escovagem não tem sido eficiente, ou se a sua dentição tiver alguma característica diferente do comum – como dentes encavalitados –, peça ao seu médico dentista que lhe dê uma explicação sobre como deverá fazer a sua escovagem.

Não se esqueça que esta deve ser feita após cada refeição ou, pelo menos, 3 vezes ao dia, sendo que a mais importante é a da noite. Ao contrário do que acontece durante o dia, à noite não bebemos água, que é uma forma de eliminar a placa. Assim, durante a noite, as bactérias que não tenham sido eliminadas continuarão a sua ação nociva para a saúde oral.

A duração aconselhada para a escovagem é de 3 minutos, pelo que sugerimos que arranje uma ampulheta, ou então ponha a tocar uma música de que goste e que tenha uma duração aproximada.

A força exercida também é importante, porque se aplicar muita força estará a traumatizar as gengivas, pelo que deve escovar suavemente.

Passando à ação, estas são as orientações que deve ter em consideração, quando escovar os seus dentes:

  • Defina a ordem pela qual vai escovar – para não nos esquecermos de nenhuma secção da boca, devemos seguir uma sequência, sem saltar passos. Devemos, por exemplo, escovar primeiro todas as faces exteriores dos dentes, depois as superfícies oclusais (as partes dos dentes com que mastigamos) e, por fim, as faces linguais dos dentes (a parte interior).

Ainda em relação à sequência, devem escovar sempre no mesmo sentido. Por exemplo, da esquerda para a direita;

  • A inclinação e as faces exteriores – para não ferir as gengivas, deve inclinar a escova em cerca de 45º, fazendo movimentos circulares e escovando sempre 2 dentes de cada vez;
  • As superfícies oclusais – terminando as faces exteriores, escove as superfícies oclusais em movimentos de vai e vem, em espaços curtos de cada vez, para que não lhe escape nada;
  • As faces linguais – as faces linguais dos dentes devem o seu nome ao facto de estarem em contacto direto com a língua. Nos dentes frontais, quase só se deve usar a ponta da escova, empurrando-a para fora;
  • A língua – no final, é importante que não se esqueça de escovar também a língua.

Caso tenha uma escova elétrica, estas orientações não são válidas. Deve circundar cada um dos dentes, abrangendo todas as faces ao passar por cada um deles.

Apesar da escova de dentes ser o elemento primordial na limpeza dos dentes, é importante ter a consciência de que, sozinha, não é suficiente para que haja uma higienização oral completa. Primeiro, deve utilizar o fio dentário. Só depois deve escovar os dentes e, por fim, bocheche o elixir ou – especialmente se tiver implantes dentários – use o irrigador oral ou jato de água, onde pode colocar o elixir e fazer um 2 em 1!

 

A escolha das escovas e pastas de dentes

Agora que já relembrámos a importância da escovagem dos dentes e qual a forma correta de o fazer, já podemos falar sobre que produtos deverá incidir a sua escolha, tendo em conta o vasto leque de opções!

 

A escova de dentes

A escova de dentes deve ser trocada a cada 3 meses, ou sempre que esteja demasiado gasta. Pelas diferenças na dentição, a força aplicada e a forma como se escovam os dentes, cada pessoa pode ficar com a escova mais desgastada mais ou menos depressa, pelo que pode acabar por ser necessário trocá-la antes que esta complete os 3 meses.

A escovagem pode ser igualmente eficiente com uma escova manual ou elétrica. Portanto, a escolha deve ser feita em função da destreza e da preferência de cada pessoa.

No caso da escova elétrica, há características como:

  • Modos de escovagem – alguns modelos têm modos específicos, como os indicados para dentes sensíveis, para proteger as gengivas, entre outros;
  • Temporizadores – demos a sugestão da música mas, se tiver uma escova elétrica com esta opção, não precisa de se preocupar. A escova irá parar quando o tiver cumprido o tempo indicado para a escovagem;
  • Utilização prática – há pessoas que não têm tanta destreza manual. Nesses casos, esta poderá ser a melhor solução;
  • Movimentos – graças ao sistema de oscilação e rotação, é possível remover a placa bacteriana com facilidade;
  • Sensores de pressão – algumas destas escovas têm um sensor que avisa quando se está a fazer força a mais sobre as gengivas;
  • Lembretes – alguns modelos dão um alerta quando está na altura de substituir a cabeça da escova.

 

Já para escolher uma escova de dentes manual, há outras particularidades a ter em consideração, como as cerdas:

  • Suaves – as cerdas mais macias são mais gentis para as gengivas, especialmente quando fazemos algum tratamento que deixe a boca mais sensível. Por outro lado, podem não remover as placa bacteriana de forma tão eficaz;
  • Médias – são as mais consensuais, porque não são muito agressivas para as gengivas e, ao mesmo tempo, são suficientemente firmes para uma boa limpeza dos dentes;
  • Duras – são as mais indicadas para quem tem implantes dentários, para garantir uma remoção eficiente da placa bacteriana;

 

Como também já referimos, a língua também precisa de ser escovada, por isso, escolha uma escova que permita fazê-lo, a menos que tenha um raspador de língua.

Hoje em dia nem todas as escovas têm o cabo reto. Muitas são ergonómicas, adaptando-se melhor ou pior à mão de cada pessoa. Opte pelas que sejam mais confortáveis para si. Um cabo flexível ajuda a que não exerça tanta força ao escovar os dentes e isso é benéfico para as gengivas, evitando a sua retração.

O tamanho da cabeça também é importante. Estamos habituados a que as escovas infantis seja mais pequenas, tando nos cabos como nas cabeças. Mas também os adultos devem optar por escovas com cabeças que tenham tamanhos adaptados às suas bocas. Muitos médicos dentistas defendem que uma escova mais pequena permite chegar a mais áreas da boca, resultando numa limpeza mais eficaz.

Para além das escovas infantis, há ainda escovas de dentes para bebés, que fazem lembrar dedais, mas com cerdas, e cuja utilização é recomendada desde que nasce o primeiro dente. Até aí, deve limpar-se as gengivas com uma compressa esterilizada, humedecida em água morna.

 

A escova elétrica tem vantagens que facilitam a sua utilização. Mas, na verdade, não faz nada que, se estivermos atentos, não possamos fazer com a manual. Por isso, a escolha entre uma e outra opção é menos importante que a escolha da escova, seja manual ou elétrica, de acordo com as características que apresente.

 

A pasta de dentes

Pastas também há muitas, o que por vezes nos faz perder algum tempo na secção de higiene oral dos supermercados. Portanto, explicamos-lhe que tipos principais de pastas existem para que, de acordo com as suas características, saiba qual a mais adequada para si em cada momento.

Tem propensão para o desenvolvimento de cáries, os seus dentes estão escurecidos, ou tem sentido alguma sensibilidade dentária? Então, preste atenção às propriedades de cada tipo de pasta de dentes:

  • Prevenção – o flúor é um componente bastante comum quando nos referimos à saúde oral, uma vez que ajuda a remineralizar o esmalte dos dentes, fortalecendo-os e removendo a placa bacteriana. A concentração de fluoreto deve ser entre 1000 ppm e 1500 ppm para ter uma ação verdadeiramente eficaz. Este tipo de pasta deve ser utilizado por pessoas sem problemas de saúde oral e que apenas precisem de continuar a prevenir o aparecimento de cáries;
  • Sensibilidade – quando o esmalte está desgastado, ficamos com sensibilidade dentária, que consiste na dor ao comer certos alimentos ou bebidas, quentes ou frias. Uma pasta específica para a sensibilidade dentária tapa os poros na dentina e liga os nervos dos dentes;
  • Doenças periodontais – quando a doença ainda é “apenas” uma gengivite, é possível que se consiga tratar com um reforço da higiene oral. Há pastas que, para além de flúor, têm antisséticos, ajudando a tratar a infeção das gengivas. Porém, estas pastas não devem ser usadas por mais de 2 semanas. Se os sintomas se mantiverem passado esse tempo, consulte o seu médico dentista;
  • Branqueamento – algumas pessoas têm dentes mais brancos que outras, especialmente quando entram na equação elementos como café e tabaco. É aí que entram em cena as pastas de dentes branqueadoras. Mas, cuidado! Estas são compostas por substâncias abrasivas que corroem a camada exterior dos dentes, por isso, não as utilize por períodos muito prolongados.

 

Por norma, temos o hábito de colocar a pasta em toda a extensão da escova, mas não precisamos de tanta quantidade. A quantidade equivalente a uma ervilha é suficiente para um efeito satisfatório.

Essencialmente por questões ambientais, cada vez mais surgem alternativas como pastas de dentes à base de óleo de coco e bicarbonato de sódio. Outras, pela promessa de dentes brancos e saudáveis, como as pastas que são feitas à base de carvão, também estão na moda. A verdade é que, neste último caso, há médicos dentistas que confirmam que o carvão ativo permite a remoção de algumas manchas, mas à custa do desgaste dos dentes, o que poderá originar sensibilidade dentária.

Por isso, quando tiver de escolher a sua próxima escova e pasta dos dentes, independentemente de ter ou não implantes dentários, tenha os nossos esclarecimentos em atenção, para fazer uma escolha saudável e consciente!

Relacionado
Saúde Oral
Por que é preciso usar uma prótese provisória?
By Cátia Aguilar | 27/05/2020

Quando se falar em colocar implantes dentários para se poder ter uma prótese fixa, muitas pessoas não percebem que, antes de terem a sua prótese fixa definitiva, terão de usar uma prótese provisória.

Há algumas coisas a ter em atenção quando se fala em reabilitação oral, nomeadamente, as fases por que se passa até termos uma prótese fixa com a qual iremos viver, idealmente, o resto dos nossos dias! Conheça essas fases e perceba tudo sobre a prótese provisória.

 

O que é a prótese provisória e por que motivo é necessária

Para se poder usar uma prótese fixa é preciso colocar implantes dentários. E esse processo não é mais do que uma cirurgia oral. Felizmente, é possível recorrer à anestesia local, pelo que o procedimento é indolor. Mas há sempre algumas caraterísticas associadas ao tratamento, como o inchaço das gengivas. Esse inchaço leva algum tempo a passar, por isso as próteses provisórias são um pouco mais folgadas do que as definitivas. Este é apenas um dos motivos pelos quais é preciso usar uma prótese provisória enquanto se aguarda pela osteointegração dos implantes dentários e a cicatrização da gengiva.

E se não é possível usar a prótese definitiva a partir do momento em que se coloca os implantes dentários, porque seria demasiado apertada para uma gengiva que tivesse acabado de passar por uma cirurgia, a prótese provisória é a melhor coisa que podia acontecer a um paciente recém operado! Esperar 6 meses pela osteointegração e cicatrização seria demasiado tempo para se estar sem dentes! Assim, as próteses provisórias trazem a solução para a ausência de dentes, na fase inicial do tratamento.

 

Prótese provisória fixa vs prótese provisória removível

Quando se faz uma cirurgia para a colocação de implantes dentários, pode acontecer uma de duas coisas: os implantes dão carga... ou não! Vamos já explicar o que é isto da carga!

Após a cirurgia, o médico dentista verifica que se existe estabilidade suficiente na fixação do implante de titânio ao osso, ou seja, o médico confirma se os implantes dão carga. Nos casos em que os implantes dentários não dão carga, as próteses provisórias têm de ser removíveis, mas isto acontece em apenas 30% dos casos. Mas, após a osteointegração (cerca de 6 meses), as próteses definitivas serão, garantidamente, fixas, independentemente de terem ou não dado carga imediata após a cirurgia.

Portanto, nos casos em que os implantes dentários dão carga, as próteses provisórias são fixas!

Não há nada que se possa fazer para garantir que as próteses provisórias sejam fixas, porque a carga imediata depende apenas das caraterísticas do osso do maxilar de cada paciente.

 

As caraterísticas das próteses provisórias

Muitos pacientes afirmam que as próteses provisórias têm um aspeto tão natural que nem sentem necessidade de as trocas pelas definitivas. Mas a verdade é que esta troca é mesmo necessária. Como as gengivas desincham, ao longo dos meses de cicatrização, acaba por se ficar com mais espaço entre as gengivas e a prótese, onde se acumulam mais restos alimentares do que inicialmente.

Há ainda outra questão a considerar: as próteses provisórias, por serem feitas o mais depressa possível, após a cirurgia, para conforto dos pacientes, são feitas de um material um pouco menos resistente do que aquele de que são feitas as próteses fixas definitivas. Estas últimas são feitas com bastante minúcia, porque vão ser os dentes com que cada paciente vai conviver daí para a frente. Idealmente, sem mais trocas! Portanto, são feitas várias provas, para garantir que as próteses fixas definitivas ficam perfeitas!

 

Cuidados a ter com a prótese provisória

Por ser um pouco mais frágil, a prótese provisória requer alguns cuidados extra. A verdade é que, tanto com a prótese fixa definitiva como com os dentes naturais, é preciso ter vários cuidados, para não os danificarmos. Mas a prótese provisória obriga a uma atenção ainda maior, porque se pode partir com mais facilidade.

Vários pacientes aparecem nas nossas clínicas, durante o período de osteointegração, com próteses provisórias estragadas, simplesmente porque não dão importância aos conselhos dos médicos dentistas.

Alimentos muito duros estão completamente proibidos, se se quiser conservar a prótese provisória até ao fim do período da osteointegração, sem grandes surpresas e percalços!

Ainda assim, acidentes acontecem. Por isso, caso seja nosso paciente e tenha colocado as suas próteses provisórias, estando à espera da altura certa para colocar as definitivas, pode sempre contar com os nossos profissionais para arranjar a melhor solução para o seu problema. Uma coisa é certa: não vai ficar sem dentes! Basta falar connosco e marcar uma consulta de avaliação oral sem custos!

Saúde
Seja mais forte do que o seu medo e vença-o!
By Beatriz Nunes | 26/05/2020

"As melhores coisas da vida estão do outro lado do medo". Esta frase foi dita por uma personalidade conhecida mundialmente, o famoso e talentoso ator Will Smith. A frase foi uma conclusão do ator, após superar o medo de saltar de paraquedas. O medo é um sentimento negativo que faz com que deixemos de fazer muitas coisas que podem mudar as nossas vidas para melhor. Imagine quantas pessoas perdem a oportunidade de conhecer lugares mágicos por não quererem andar de avião, de viver um romance por receio de se magoarem ou de terem um sorriso bonito, por medo de ir ao Médico Dentista. 

Este problema merece atenção especial e até uma reflexão relativamente ao impacto que tem na sua vida. O tempo passa depressa e não podemos voltar atrás, por isso, é importante pensar em como podemos trabalhar para afastá-lo das nossas vidas. Há algumas dicas que podem ajudar a enfrentar este mal e a conquistar uma liberdade que vai abrir um caminho que deixará a sua vida mais leve.

E é sobre isso que vamos falar hoje.

Como lidar com o medo?

Se o medo está muito presente na sua vida, saiba que existem diversas formas de lutar contra este problema. Algumas pessoas sentem vergonha em assumir as suas fobias. Têm medo de ser criticadas ou até que façam pouco do seu problema. Mas guardá-lo como se fosse um segredo pode ser a decisão errada.

Temos algumas dicas para que se ajude a si próprio, ou a alguém que lhe seja próximo:

  • Descubra exatamente de que é que sente medo. Conheça o seu "inimigo"
  • Faça uma autoanálise do motivo que o leva a ter medo
  • Quando sente medo, silencie a mente
  • Procure ganhar autocontrole, para dominar melhor o medo e outros sentimentos negativos
  • Partilhe o seu medo, fale sobre ele

Faça escolhas conscientes

As decisões e escolhas, quando bem pensadas e feitas de forma consciente, geram resultados positivos. E muitas dessas decisões têm o poder de transformar as nossas vidas.

Cuidar da saúde, planear o futuro e o que queremos fazer daqui para frente, tudo passa pela tomada de decisões. E esta é uma forma de perceber se tem deixado de fazer algumas delas por puro receio, qual a dimensão do seu medo, mas também da sua vontade de realizar aquele desejo.

O tempo passa depressa e não volta atrás!

É uma verdade dura, mas bem real. E é por isso que precisa de cuidar de si sem mais demoras, assim como livrar-se do que possa estar a atrapalhar a sua vida. Já se perguntou há quanto tempo vive com medo? E como é que ele surgiu? Muitas vezes trata-se apenas de uma semente plantada por outra pessoa. Isso é bastante comum na infância, por exemplo. 

Claro que, na maioria das vezes, quando se planta este tipo de sensação em alguém é para evitar algo de mau. O que importa mesmo é lutar contra esse sentimento.

Não é apenas uma sensação, é algo físico

O medo causa reações físicas, por isso é importante cuidar de si para evitar que ele tome conta do sua cabeça mas também do seu corpo. Muitas coisas simples, como comer, estar em boa companhia ou passear à beira-mar geram sentimentos ligados ao prazer. Fisicamente falando, é tudo a mesma emoção: a da felicidade.

Isto porque, quando praticamos estes pequenos atos, o nosso corpo produz e libera a hormona do bem-estar, a famosa serotonina. Da mesma forma que um susto, um assalto ou a ansiedade de conversar com o seu chefe podem produzir outra sensação: a do medo. 

Quanto mais cedo se conseguir libertar dos seus medos, mais depressa irá tomar as decisões corretas para ter sensações de prazer e bem-estar.

Medo de ir ao dentista?  

Este problema é muito comum. Há até quem tenha receio de ir a uma clínica dentária. Há quem tenha medo do barulho que os aparelhos fazem enquanto o médico dentista trabalha e até de levar aquela pequena anestesia, em casos mais complicados. Mas cuidar do sorriso e da saúde oral é muito importante e faz bem à sua saúde geral.

Assim sendo, por que há-de ter medo de algo que lhe faz bem? No caso dos cuidados com o sorriso, não estamos apenas a falar de dentes, mas de autoestima, de qualidade de vida, de estética e até de confiança. Seja qual for o seu medo, não deixe que este tome conta de si e que o vença!

Não deixe para amanhã!

A conhecida frase "não deixe para amanhã o que pode fazer hoje" pode servir de estímulo para que comece a tratar das suas fobias e a resolver os seus problemas, para que possa tomar novas decisões que podem mudar a sua vida. Não existe uma idade em que não possa ou deva cuidar deste problema e ir atrás do tempo perdido, apesar de este não voltar atrás. Mas pode sempre promover um futuro melhor! Enquanto estiver vivo, permita-se viver e ser feliz!

Duvidas
O PNID e a sua responsabilidade com a saúde oral
By Beatriz Nunes | 25/05/2020

Já conhece a história do PNID - Programa Nacional de Implantes Dentários? O PNID oferece um serviço cujo objetivo é muito simples: devolver a qualidade de vida às pessoas que sofrem com problemas dentários, restaurando-lhes a saúde oral, permitindo-lhes ter uma dentição completa e um sorriso bonito. E o PNID já tem um percurso com vários casos de sucesso, somados ao longo de uma década, durante a qual tem ajdudado a melhorar a saúde oral de milhares de pessoas. 

São 10 anos de muita história e de muitos resultados positivos. Afinal, o PNID deu início à sua trajetória de sucesso com um projeto inovador, de tornar os implantes dentários acessíveis a toda gente. Atento a todos os casos, apresenta o tratamento de colocação de implantes dentários, dando uma solução à medida de cada paciente. Exclusividade, compromisso e expertise em saúde oral definem muito bem a proposta do PNID.

Como o PNID encara a saúde oral

A saúde oral é uma missão. E é executada com muita maestria.

Hoje, o PNID desenvolve a sua missão através duma estrutura que inclui diversas clínicas Swiss Dental Services, localizadas em cidades de norte a sul de Portugal.

A sua equipa de profissionais multidisciplinares passa por constantes cursos para aperfeiçoamento das suas capacidades, sempre com o objetivo de oferecer o melhor serviço e o melhor tratamento a cada paciente. Desde a receção aos setores que não têm contacto direto com os pacientes, o zelo pela excelência está presente em cada departamento da empresa. O respeito e o carinho transmitido a cada paciente faz parte do atendimento humanista que a empresa tem como preceito primordial na execução do seu trabalho.

Todos os médicos dentistas são experts em Implantologia Dentária. Afinal, é esse tratamento moderno, através da colocação de implantes dentários, que realizam todos os dias, com destreza e perfeição. Todos os pacientes que decidem recuperar o sorriso com implantes dentários, ou trocar as suas próteses removíveis por próteses dentárias fixas, pode ter a certeza de que está nas mãos de profissionais que dominam as técnicas mais seguras e inovadoras do mercado.

Afinal, o PNID acredita que a saúde oral merece o melhor atendimento e tratamentos de ponta. O compromisso da empresa relativamente ao seu propósito pode ser identificado em cada detalhe: desde a limpeza e organização clínica, através do ambiente hospitalar que atende aos mais elevados protocolos da área da saúde; passando pela receção, com a sua equipa gentil e as suas modernas e confortáveis instalações; até aos restantes setores.

O paciente é bem recebido, num ambiente acolhedor e consegue sentir-se à vontade, como se estivesse em casa. A isso soma-se o atendimento com total respeito e alto padrão de qualidade. Tudo preparado especialmente para que a sua saúde oral tenha o melhor tratamento do mercado.

 

Transformar a vida das pessoas é um dos objetivos!

Esta é a maior motivação do PNID:

- Melhorar a alimentação 

- Reabilitar sorrisos

- Recuperar a qualidade de vida

- Devolver a confiança

Estes são pontos fundamentais que o PNID leva muito a sério. Afinal, fazemos isto todos os dias.

Cuidar da saúde oral, devolvendo a autoestima, a qualidade de vida, a confiança e a segurança ao sorrir é a realidade diária da equipa do PNID. 

Um sorriso recuperado significa voltar a ter mais do que saúde, é também uma transformação na aparência de cada pessoa. É uma nova oportunidade de voltar a mostrar ao mundo uma das expressões mais bonitas que se pode fazer: sorrir. É algo estimulante e que pode melhorar o convívio social, ajudar a sentir mais segurança ao falar e até ao mastigar em público.

O PNID era o que eu precisava. Agora consigo comer e mastigar sem dores.

Albertino Correia

É importante ressalvar que as soluções do PNID implicam de forma direta a saúde geral de cada paciente e que a reabilitação oral recupera as funções da fala e da mastigação que, com a perda dentária, não funcionam corretamente.

 

E como funciona o PNID?

Através da rede de clínicas dentárias internacionais da Swiss Dental Services, o PNID surgiu para atender à necessidade de recuperar sorrisos e de tornar os implantes dentários acessíveis ao maior número possível de pessoas. Não apenas pela questão estética, que também sofre a consequência da ausência de dentes, mas também pelo número elevado de pessoas que enfrentam problemas como a mastigação e fala. A ausência de dentes não afeta apenas a beleza do sorriso. Também compromete estas funções tão essenciais para cada ser humano e ainda se reflete na forma como o indivíduo se relaciona em sociedade.

O PNID reúne uma equipa de profissionais experts em reabilitação oral e colocação de implantes dentários, preparados para avaliar individualmente cada caso e, de acordo com o problema, apresentar a solução mais assertiva. Há sempre uma clínica dentária do PNID perto de si - prova disso são os mais de 40.000 casos de sucesso na colocação de implantes dentários.

Este número reforça a confiança de milhares de pacientes que já recuperaram os seus sorrisos com o PNID, atestando a qualidade do serviço e o grau de satisfação de quem optou por esta solução e voltou a ter uma dentição saudável.

 

Aqui a inovação é constante

É muito importante lembrar que uma das grandes vantagens para todos os que confiam no PNID e nas clínicas da Swiss Dental Services é o tratamento que recebem. Há um atendimento humanizado, realmente preocupado em apresentar a melhor solução em cada caso. A procura por novos métodos, novas tecnologias e novas formas de melhor atender são constantes. E, mais do que isso, existe um empenho em levar ao maior número de pessoas a possibilidade de melhorar a saúde oral.

Um paciente não é um número, é sempre um caso especial. É por isso que, ao escolher ser atendido pelo PNID, terá sempre a garantia de um atendimento diferenciado, um suporte exclusivo e encantador. Isto acontece através de um profissional dedicado, que faz parte da equipa do PNID: o Gestor de de Paciente! É um profissional que acompanha o paciente, lembrando-o sempre das suas consultas, prestando os esclarecimentos necessários, durante e após o tratamento, estando ao seu lado para garantir o sucesso e a satisfação durante a experiência que vai transformar a sua vida. Este apoio emocional e a grande inovação na forma de tratar os pacientes é uma das exclusividades a que todos os pacientes do PNID têm acesso.

Poder sorrir e estar à vontade é indescritível....

Renato Maia Prates

 

Satisfação em atender

Esta pode ser uma ótima definição para todos que fazem parte da equipa do PNID e das clínicas Swiss Dental Services. Este é o nosso estímulo e o que nos leva a estar em constante crescimento, capacitando incansavelmente a equipa, expandindo as clínicas, modernizando as técnicas e materiais e procurando sempre o que há de mais moderno na área da Implantologia Dentária.

É tudo feito com amor, para o satisfazer e permitir que, através da reabilitação oral, tenha uma nova forma de viver.

Agora, mais do que ficar a saber a nossa história, pode confirmar tudo pessoalmente.

Convidamo-lo a visitar a clínica mais perto de si, a estar em contacto com a nossa equipa, de forma a que tenha a oportunidade de viver os próximos anos da sua vida a sorrir alegremente, com orgulho de ter dentes bonitos e saudáveis através do PNID.

Quer receber conteúdos exclusivos, promoções e novidades que o vão ajudar a conseguir um sorriso de sonho?

Subscreva a nossa newsletter.