Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

Dicas

Afinal, o que é a COVID-19 e como nos podemos proteger?

By Cátia Aguilar | 20/03/2020

Ultimamente, o tema mais falado em todo o mundo é o novo coronavírus, que provoca a doença COVID-19. Trata-se de uma doença infeciosa que foi identificada pela primeira vez em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na China. Apesar de já ser conhecido, nunca tinha sido identificado em seres humanos.

Ainda há muitas coisas por descobrir sobre a COVID-19, mas já há uma série de informações que podemos partilhar consigo, para que se possa proteger a si e aos outros.

 

 

Como se propaga a COVID-19 e como podemos evitar a infeção?

 

Neste momento, muitos portugueses se encontram em isolamento, por questões de segurança. Esta é a melhor forma de evitar o contágio, uma vez que ainda não existe uma vacina preventiva disponível.

Como este coronavírus se espalhou muito depressa por todo o mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que nos encontramos perante uma pandemia.

Uma pandemia é uma epidemia que se alastra ao mesmo tempo em vários países. Por sua vez, uma epidemia acontece quando uma doença ocorre com frequência invulgar numa determinada região e por um período limitado. Como já teve oportunidade de perceber, graças à COVID-19, encontramo-nos numa situação de crise global. Todos, sem exceção, têm sido afetados, incluindo os nossos pacientes, uma vez que, por questões de segurança, não podemos manter as nossas clínicas abertas.

Os médicos dentistas são dos profissionais da área da saúde que estão mais expostos, correndo um risco agravado de contaminação, pela forma como a COVID-19 atua.

 

A propagação

A fonte da infeção ainda é desconhecida, mas já sabemos que este coronavírus se transmite através do contacto com pessoas infetadas. A propagação dá-se através de gotículas do nariz e da boca provenientes de alguém que tenha COVID-19. Essa contaminação pode ser feita de 2 formas:

  • Direta – quando, através de um espirro ou tosse, as gotículas de uma pessoa infetada pousam em nós e as inalamos, ou quando entram em contacto com os nossos olhos, nariz ou boca;
  • Indireta – mesmo que não entremos em contacto direto com uma pessoa contaminada com COVID-19, caso esta tenha deixado gotículas em superfícies ou objetos onde, posteriormente, toquemos, podemos “transportar” o vírus até aos nossos olhos, nariz ou boca.

É por este motivo que, para evitar a infeção, devemos redobrar os hábitos de higiene, lavando frequente as mãos, para além de evitar tocar na cara (olhos, nariz e boca).

 

Os sintomas

Algumas pessoas são assintomáticas, o que significa que não apresentam sintomas. Esta situação é mais perigosa, porque as pessoas pensam que não têm COVID-19 e, afinal, são veículo de transmissão da doença. E, mesmo quando há sintomas, desde o contágio até que estes se manifestem, o período médio é de 5 dias, mas pode ir até 14.

Os sintomas mais frequentes são:

  • Tosse
  • Febre
  • Fadiga
  • Falta de ar, em casos mais graves, podendo levar a pneumonia

Outros sintomas menos frequentes são os vómitos, diarreia e dores no corpo.

 

Fortalecer o organismo

Há cuidados que devíamos ter sempre, mas aos quais damos mais atenção quando estamos em situações mais frágeis. Por isso, talvez esta seja uma boa altura para repensar os seus hábitos alimentares, de forma a que o seu organismo esteja preparado para lutar contra as ameaças exteriores e mais facilmente se livre de qualquer tipo de doença. Alguns cuidados simples, mas importantes, passam por:

  • Beber muita água;
  • Excluir alimentos com glúten, açúcar, caseína (proteína do leite) e outros elementos que inflamem o intestino;
  • Dar prioridade a alimentos orgânicos, sem aditivos e outros elementos tóxicos;
  • Incluir na alimentação diária legumes, vegetais de várias cores, gorduras saudáveis (ovos, peixes gordos do mar, sementes, frutos secos, azeite, abacate, óleo de coco, etc.).

Manter um estilo de vida ativo, praticando exercício físico – que consiga fazer em casa – também ajuda a manter um equilíbrio físico e emocional, livrando-se do stress, melhorando a qualidade do sono e permitindo que continue em forma!

 

 

Cuidado! Nem tudo o que tem ouvido dizer é verdade!

 

Infelizmente, para além de informações importantes e relevantes, também têm circulado outras que induzem as pessoas em erro e que são completamente falsas! Tenha muito cuidado, porque algumas delas até podem ser perigosas para a saúde.

 

Antibióticos

Os antibióticos não matam vírus, apenas bactérias. Uma vez que a batalha que estamos a travar é contra um vírus, não vamos conseguir combater o COVID-19 com antibióticos.

 

Termómetros

Não, os termómetros não identificam pessoas contaminadas pelo novo coronavírus. Como sempre fizeram, os termómetros medem a temperatura do corpo. E, mesmo que uma pessoa tenha febre, não significa que tenha COVID-19.

 

Distância

Há quem afirme que, através de espirros e tosse, o vírus pode “saltar” até 8 metros, mas essa informação não é verdadeira. No máximo, as gotículas atingem 1 metro, daí que seja essa a distância de segurança recomendada.

 

Encomendas

Graças a estudos feitos a outros coronavírus, descobertos antes da COVID-19, que este tipo de vírus tem um tempo de vida limitado, quando está em objetos. Por isso, com o tempo de viagem, o vírus deverá morrer até chegar a si.

 

Vacinas

Ainda não há uma vacina para a COVID-19, pelo que as vacinas contra a pneumonia ou outras doenças não têm qualquer utilidade para combater este vírus. Será necessário desenvolver-se uma vacina específica.

 

Alho

Ainda que seja um superalimento e de ter propriedades antimicrobianas, não há qualquer indício de que o alho combata a infeção deste coronavírus.

 

 

Mesmo longe, continuamos perto de si

 

No meio de tanta informação e contrainformação, há algo que é bem verdade: é importante que #FiqueEmCasa! Pode não ser muito fácil, mas é de extrema importância!

Mas apesar de termos as nossas clínicas fechadas, não nos esquecemos de si e de como a sua saúde oral é importante. Por isso, mesmo não podendo estar consigo fisicamente, arranjámos forma de o acompanhar e de esclarecer as suas dúvidas sobre saúde oral, à distância. Durante este período de quarentena, os nossos médicos dentistas podem falar consigo através de videochamada, para esclarecer dúvidas e ajudar a afastar receios que possam existir. Este serviço é seguro, online, não tem custos, e pode falar connosco no conforto do seu lar!

Fale com os nossos médicos dentistas. É online e sem custos!

Relacionado
Saúde Oral
6 motivos para ir às consultas de manutenção
By Cátia Aguilar | 15/06/2020

Quando se fala sobre implantes dentários, é frequente ouvirmos falar também de consultas de manutenção. Mas será que percebemos ao certo para que servem estas consultas e qual a sua importância?

As consultas de manutenção não são mais do que um controlo para garantir a qualidade dos seus implantes dentários. Mas a principal mensagem a reter neste artigo sobre as consultas de manutenção é que estas são fundamentais e que não as deve desvalorizar!

 

Da avaliação oral às consultas de manutenção

 

A colocação de implantes dentários melhora substancialmente a qualidade de vida dos pacientes que optam por recorrer a esta solução. As vantagens são inúmeras e umas destacam-se mais nuns pacientes e outras noutros, mas é inegável que são muitas e bastante relevantes. Da estética ao funcional, a reabilitação oral transforma completamente a vida de várias pessoas.

Mas há todo um processo, desde que se faz uma consulta de avaliação oral sem custos numa das nossas clínicas, até que se colocam as próteses fixas. Este pode parecer o fim do processo, mas, se quiser mantê-las por muito tempo, deve continuar a visitar-nos para as suas consultas de manutenção.

 

As fases da colocação dos implantes dentários

Quando se procede a uma reabilitação oral, depois da avaliação oral sem custos, podem destacar-se 4 fases principais:

  • Planeamento – o paciente inicia o tratamento com uma consulta pré-cirúrgica, onde será avaliado “como um todo”, tendo sempre a saúde geral em consideração;
  • Cirurgia – a intervenção, propriamente dita, é precedida de uma medicação pré-cirúrgica, reduzindo o risco de infeção e inflamação e de forma a evitar a dor pós-cirúrgica. Após a intervenção, são explicados, ao pormenor, os cuidados pós-operatórios e é colocada ao paciente uma prótese provisória;
  • Reabilitação protética – o paciente vai a algumas consultas de controlo, enquanto aguarda pela osteointegração – processo em que ocorre a ligação do osso ao implante dentário e que dura cerca de 6 meses. Nesta fase, que termina com a colocação das coroas ou das próteses fixas – protocolos, no caso da ROTA® –, são feitos os moldes para se produzir a prótese fixa definitiva;
  • Consultas de manutenção – na última fase contemplamos a manutenção, que consiste num controlo semestral em clínica.

 

Os objetivos e a importância das consultas de manutenção

 

A palavra “manutenção” faz-nos pensar em bens como carros ou algum tipo de aparelho. Parece disparatado comparar um automóvel a implantes dentários e a próteses fixas. Mas, serão realidades assim tão distantes?

A grande diferença é que, mesmo com manutenção, carros e aparelhos das mais variadas espécies vão acabar por ter de ser “reformados”. Já os seus implantes dentários e próteses fixas, caso tome as devidas precauções, como comparecer nas consultas de manutenção, poderão acompanhá-lo durante toda a vida!

Portanto, se tem implantes dentários, é também o maior beneficiário das consultas de manutenção. Estas são importantes a vários níveis, que agora destacamos:

 

1. Limpeza profunda das próteses fixas

Por muito que tenha uma boa higiene oral e utilize todos os utensílios aconselhados pelo seu médico dentista, nas consultas de manutenção as suas próteses fixas serão higienizadas ainda mais profundamente.

Só na clínica é possível desaparafusar as suas próteses fixas, para a limpar em todos os pontos onde nem o paciente mais cuidadoso consegue chegar.

 

2. Evitar problemas de saúde oral

Tal como com dentes naturais, quando temos implantes dentários, há problemas de saúde oral que não identificamos facilmente. Por isso, só o médico dentista conseguirá identificar alguns sinais que a sua boca fornece, mas que para si poderão ser mais subtis ou até impercetíveis!

 

3. Garantir o bom funcionamento das próteses fixas

Acidentes acontecem com qualquer tipo de dentição. Uma queda, por exemplo, pode provocar algum dano às suas próteses fixas. Desta forma, convém que não falta às suas consultas de manutenção, ou até que marque uma consulta de urgência, se perceber que algo não está bem.

Os nossos profissionais vão dar-lhe toda a atenção de que precisa!

 

4. Evitar custos com reparações

Por outro lado, ir às consultas de manutenção pode ajudar a identificar algum problema com as suas próteses fixas e repará-lo antes que seja necessária uma reparação maior e dispendiosa.

 

5. Reduzir a necessidade de ajustes da prótese fixa

Se passar muito tempo sem ir a consultas de manutenção, aumentará a probabilidade de ter de ajustar a prótese fixa. Mas se as for fazendo, serão tomados os cuidados para que não seja preciso fazer tantos ajustes.

 

6. Garantia vitalícia

Por fim, mas tão ou mais importante que os pontos acima, ao fazer as suas consultas de manutenção certifica-se de que continua a ter a garantia vitalícia dos seus implantes dentários! De certeza que não vai querer perder esta vantagem! Certo?!

 

Resumindo, as consultas de manutenção ajudam a evitar o aparecimento de qualquer tipo de danos. Este controlo é ainda imprescindível para reduzir a probabilidade de desenvolver problemas dentários ou a degradação dos elementos que constituem a prótese fixa, garantindo o seu pleno funcionamento e evitando desgastes prematuros ou qualquer tipo de desconforto.

E o melhor é que esta prática não consiste na realização de tratamentos, mas sim em garantir o bom funcionamento da prótese fixa e dos implantes dentários.

 

O que precisa de saber sobre as consultas de manutenção

 

Deixamos-lhe ainda algumas informações úteis sobre as consultas de manutenção que lhe podem vir a dar jeito:

  • Devem ser feitas numa das nossas clínicas, semestralmente;
  • São obrigatórias, se quiser manter a garantia vitalícia;
  • São marcadas diretamente com o paciente, para uma data que lhe seja conveniente;
  • São tão importantes como uma boa higiene oral diária!

 

Para além das consultas de manutenção, estamos sempre disponíveis para o atender, caso tenha algum problema imprevisto, antes da data marcada para a sua próxima visita à nossa clínica mais próxima de si. Por isso, se precisar de ajuda, não hesite em entrar em contacto connosco!

Camões
Comemore o Dia de Portugal com o seu melhor sorriso
By Beatriz Nunes | 10/06/2020

Neste 10 de junho, em que se comemora o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, há motivos para mais do que comemorar. É dia de distribuir aquele bom e velho sorriso.

Engana-se quem pensa que poesia remete apenas à melancolia e a obra de Luís de Camões é prova disso. 

Em vários dos seus textos, o poeta faz menção ao sorriso. É algo simples, mas que tem o poder de transformar a forma como vemos a vida, porque muda a forma de nos mostrarmos ao mundo e até de comunicarmos com as pessoas ao nosso redor.

Sorriso e comemoração: uma combinação perfeita!

Ainda na primeira estrofe do seu poema "Quando da Bela Vista e Doce Riso", Camões fala um pouco sobre o riso. Este faz-se importante em todos os momentos das nossas vidas. Em datas comemorativas, quando há um nascimento, em dias de conquistas, ou quando, simplesmente, temos bons pensamentos, estejamos nós sozinhos ou acompanhados.

Quando da bela vista e doce riso
Tomando estão meus olhos mantimento,
Tão enlevado sinto o pensamento,
Que me faz ver na terra o Paraíso.


Curiosidades sobre Luís Vaz de Camões

Sim, é importante falar de algumas curiosidades sobre este conceituado poeta. A primeira e maior curiosidade é que o Dia de Camões não é celebrado pela data do seu nascimento, pois esta data é desconhecida. Na verdade, o dia marca o seu falecimento, ocorrido entre 1579 e 1580. O feriado é comemorado desde 1910 e inicialmente, celebrava-se apenas na cidade de Lisboa.

Portanto, são mais 100 anos em que milhares de portugueses recordam a quão importante esta notável figura representou a ainda representa para o país. Mas, seja qual for a forma como decida comemorar este dia tão especial, certamente vai ser contagiado por momentos de felicidade e, nesses momentos, vai poder sentir como o sorriso lhe faz bem.

 

Sorrir gera uma sensação de bem-estar 

É por isso que podemos confirmar que o sorriso faz bem a toda a gente. É a mais pura demonstração de felicidade, de que está bem consigo mesmo. E no dia 10 de junho não é muito diferente. É um dia em que pode estar ao lado daqueles que mais ama. É um dia dedicado ao lazer, ao lado bom da vida, um dia de comemoração. 

Não apenas por ser o dia de um poeta mundialmente famoso, inclusive pela autoria d'Os Lusíadas. A obra literária é considerada a mais importante da história da Língua Portuguesa, mas também reconhecida e admirada por leitores no mundo inteiro.

 

É importante que se sinta bem com o seu sorriso!

Só assim conseguirá estar à vontade para sorrir em dias especiais. E será que precisa de muito para ter um sorriso livre e solto? A pergunta é simples, mas a resposta também! Se sorrir faz bem, por que havia de ser difícil? Até porque o retorno é impagável!

O nosso paciente Renato Maia Prates resolveu cuidar do seu sorriso e, para ele, esta decisão foi extremamente importante!

Poder, simplesmente, sorrir e estar à vontade é indescritível!

 

Está preparado para aproveitar as datas festivas?

Cuidar da saúde oral é mais do que cuidar do sorriso, é cuidar do seu bem geral. É estar pronto para usufruir de momentos de felicidade em datas especiais, não apenas em feriados. Na verdade, para sorrir, às vezes nem é preciso ter um motivos específico. Mas algumas pessoas deixam de sorrir por vergonha, por timidez, por ausência de dentes e até por não considerarem que o seu sorriso seja bonito ao ponto de ser exibido.

Se tem sentindo vontade de melhorar a sua saúde oral, basta procurar a ajuda certa! Pode deixar as suas incertezas e medos de lado.Todos os dias representam uma oportunidade de ser feliz e de mudar a sua vida para melhor, sem esquecer que sorrir faz bem e que, por isso, deve ser uma prioridade na sua vida!

 

Como saber em quem confiar o seu sorriso?

É um decisão importante, pois melhorar ou mudar o seu sorriso vai ajudá-lo a ser mais feliz. E, consequentemente, a aproveitar melhor os dias de festa, sejam eles quais forem. Para o ajudar a ter uma saúde oral em dia, através da colocação de Implante Dentário, pode confiar no PNID, a Programa Nacional de Implantes Dentários.

Temos mais de 40.000 casos de sucesso, profissionais capacitados, experts em Reabilitação Oral e em transformar sorrisos. Somos uma empresa preocupada em cuidar de si e de o ajudar a ser mais feliz em datas importantes como o Dia de Portugal. Também é importante afirmar que "nunca é tarde para começar".

 

A decisão depende da força do seu sonho

Se o seu sonho é voltar a sorrir com segurança e alegria em datas como esta, porque sabe que sorrir faz bem, é preciso fazer alguma coisa para que isso se torne numa realidade! O primeiro passo é decidir cuidar de si.

A decisão de mudar é sua. Ao decidir colocar implantes dentários com o PNID, vai ver que é um procedimento fácil e rápido. Isto porque a nossa equipa está sempre preparada e à sua espera nas nossas clínicas. Mudanças como esta são para melhor. Porque são possíveis, reais e mais acessíveis do que imagina.

O grande poeta Luís de Camões disse, num dos seus versos: 

Coisas impossíveis, é melhor esquecê-las que desejá-las.
 

E isto é, precisamente, o contrário do que encontrar connosco, porque temos todas as condições necessárias para o fazer sorrir novamente! Começar a sua mudança é simples: marque uma consulta de avaliação oral sem custos e conheça de perto o que o PNID pode fazer para mudar a sua forma de sorrir!

Saúde
Como perder o medo de ir ao dentista em 9 passos
By Beatriz Nunes | 08/06/2020

Existem inúmeros motivos para sentir apreensão, ansiedade e até medo de ir ao dentista. Pode acontecer por desconhecimento, más experiências no passado, histórias desagradáveis que pessoas conhecidas lhe tenham contado, entre outros motivos. Para quem tem ansiedade, mesmo sabendo que a maioria dos tratamentos são indolores, só de saber que tem de ir a uma clínica e passar por uma avaliação oral, já é motivo de resistência e para que sinta um grande desconforto.

É importante ter em mente que existe um nível leve de medo e apreensão que não chega a impedir a ida ao Médico Dentista, apenas faz com que se evite ao máximo essa interação. Mas existe um grau mais elevado, caracterizado como patologia, que é a chamada odontofobia. As pessoas que a têm ficam muito tempo sem ir a consultas e fazer tratamentos, o que acaba por prejudicar de forma significativa a sua saúde oral e geral. Nesses casos, é preciso considerar a ajuda profissional e psicológica. 

Seja qual for o seu caso, não desista! Veja abaixo as nossas dicas que o podem ajudar na superação do medo de ir ao dentista.

 

Dicas para perder o medo de ir ao dentista

Livrar-se do medo de ir ao dentista pode ser mais simples do que parece. É comum que esse receio exista muito devido aos preconceitos que temos, desconhecimento sobre a forma como os tratamentos são realizados e algumas más experiências. Como tudo na vida, é um processo! Para se libertar, é preciso entender e ter algumas informações em consideração. Algumas ações simples podem ajudar no processo de perder o medo de ir ao dentista e fazer com que não deixe de cuidar da sua saúde oral! Ora veja.

 

1. Música

Para tornar os procedimentos dentários mais tranquilos e para que se consiga sentar na cadeira do consultório com mais tranquilidade, ouça música de que goste. Se o seu médico dentista não tiver onde ouvir, pergunte se pode meter música a tocar no seu telemóvel, ou use fones. Muitas pessoas sentem-se mais relaxadas ao ouvir música clássica e de meditação. Experimente!

 

2. Respiração

Está comprovado que uma respiração profunda e correta pode trazer inúmeros benefícios para o nosso corpo e mente. Por isso, quando estiver na altura de ir a uma consulta com o seu médico dentista, experimente fazer exercícios de respiração, antes de ir para a clínica, enquanto espera para entrar na sala e até durante os tratamentos ou consultas. Isso fará que com que se acalme e se sinta mais seguro, superando aos poucos o medo de ir ao dentista.

 

3. Conheça bem a clínica

Conhecer o ambiente e os profissionais que trabalham na clínica na qual pretende realizar os seus tratamentos é fundamental para perder o medo de ir ao dentista. A avaliação oral pode ajudar nesse processo de conhecimento. Esteja atento ao atendimento que recebe e verifique se encontra um ambiente médico profissional.

 

4. Tire as suas dúvidas

Nunca venha embora da clínica com dúvidas sobre os tratamentos que precisa de realizar. Peça ao seu médico dentista que lhe explique cada passo do procedimento. Além de tirar as suas dúvidas pessoalmente, pode ler sobre as soluções dentárias disponíveis, para que não restem dúvidas sobre a sua saúde oral. Se a sua clínica tiver conteúdos publicados na internet, aproveite para se inteirar também por essa via. O PNID dispõe de um blog repleto de matérias interessantes sobre saúde oral e outros assuntos relacionados com a qualidade de vida. Aposto que vai se surpreender com tanta informação e já ficar mais tranquilo sobre os tratamentos."> O PNID, por exemplo, dispõe de um blog repleto de artigos interessantes sobre saúde oral e outros temas relacionados com a qualidade de vida. Aposto que vai ficar surpreendido com tanta informação e já se vai sentir mais tranquilo em relação aos tratamentos.

Leia também: As dúvidas mais comuns em Implantologia

 

5. Procure testemunhos

O boca-a-boca mudou! Antigamente só sabíamos e tínhamos conhecimento das experiências das pessoas mais próximas. Hoje, com a internet, podemos descobrir as experiências e histórias de pessoas que nem conhecemos! Aproveite esse recurso para conhecer relatos de pessoas que passaram pela sua situação. Com histórias semelhantes, pode verificar o que foi feito, como a pessoa se sentiu e como é que correu a experiência. Essas histórias de sucesso, que mostram como os tratamentos mudaram as vidas das pessoas, podem fazer com que se sinta mais motivado para realizar determinados procedimentos e, quem sabe, perceber que não há motivos para sentir medo de ir ao dentista! 

Leia também: (matéria da Bia sobre enfrentar seus medos que ainda não está publicada)

 

6. Fale sobre os seus medos

Fale sobre os seus medos e ansiedades. Ao "deitar cá para fora" as nossas ânsias, muitos dos nossos receios desaparecem, ou tornam-se menos relevantes.

Há muitos benefícios em falar com o seu médico dentista, por é esse profissional que poderá responder às suas dúvidas e explicar, de acordo com o seu medo, os motivos pelos quais se pode sentir tranquilo. Fale também com os seus amigos e, se já tem acompanhamento psicológico, partilhe os seus receios também com o seu terapeuta.

 

7. Faça visitas regulares ao médico dentista

Quando a ida ao dentista se torna em algo natural, começa a habituar-se à ideia e a encará-la como uma situação normal e necessária. Assim, acaba por confiar mais nos profissionais que o acompanham. Também por isso, é importante seguir as recomendações das visitas ao seu médico dentista de seis em seis meses, para o check-up dentário. Isso ajuda muito no processo de perder o medo de ir ao dentista!

 

8. Combine sinais com o seu médico dentista

Antes de começar um procedimento, combine alguns sinais com o seu médico dentista. Esta técnica simples pode ser particularmente útil, já que alguns procedimentos nos impedem de nos comunicarmos verbalmente. Combine sinais para "dizer" que sente dor ou que precisa de cuspir, por exemplo. Sinais como levantar a mão, franzir as sobrancelhas e acenar negativa ou positivamente vão-lhe dar mais segurança e ajudar no processo de perder o medo de ir ao dentista.

 

9. Comemore as suas conquistas

Conseguiu ir ao seu médico dentista sem sentir medo? Vale a pena comemorar! Depois de conseguir ir ao médico dentista (mesmo com medo), faça algo que lhe dê prazer. Afinal, merece e o seu cérebro identificará esse prazer como uma recompensa, passando a associar a ida ao dentista a uma situação agradável.

 

Estamos aqui para o que precisar

Há muitas razões para confiar no PNID. Em 10 anos, já contamos com mais de 40.000 casos de sucesso em tratamentos com Implantes Dentários. Durante este período, foram verificados casos diferentes, dos mais simples aos mais complexos, sendo que, para cada um, oferecemos um tratamento especial, exclusivo e indolor. 

Acredite que não está sozinho! Pode contar com os nossos profissionais para tirar todas as suas dúvidas e superar o seu medo de ir ao dentista. Além de ter disponíveis todos os artigos no agendar uma consulta de avaliação oral sem custos, para poder conhecer a nossa clínica mais perto de si!