Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

Mais Saudavel

Cuidar da saúde também é cuidar da carteira.

By Monica Manske | 13/04/2020

Em épocas em que o dinheiro não abunda, em que precisamos de poupar em tudo o que seja possível, em que todas as contas tendem a aumentar e quando temos de ser criativos para conseguir pagar todas as despesas do mês, acabamos por ter atitudes erradas em alguns aspetos. Especialmente quando se trata de encontrar soluções para poupar e reduzir custos, acabando por deixar de cuidar da saúde.

Poupar corretamente passa por procurar alternativas para continuar a fazer as mesmas coisas de uma forma mais económica, com menos recursos financeiros, mas sem abdicar do conforto, da segurança e da saúde, zelando pelo nosso bem-estar e do de toda a família.

Como cuidar das economias sem mistérios

Por exemplo, temos algumas possibilidades de poupar no nosso dia-a-dia (sem deixar de cuidar da saúde!), ao pesquisar preços daquilo que precisamos de comprar, negociar descontos, dependendo de onde fazemos as compras, adquirir produtos em promoções, etc. Um dos pontos que já aqui mencionámos também diz respeito a como poupar na cozinha: é muito fácil, não exige esforços adicionais e tem uma série de vantagens que se refletem nas contas mensais.

Por outro lado, engana-se quem pensa que poupar dinheiro na área da saúde é uma vantagem.

 

Ao procurar um atendimento profissional para cuidar da sua saúde, consegue evitar que pequenos problemas se tornem graves. Este é o nosso tema de hoje: prevenção.

As consultas médicas de rotina servem para prevenir, através de uma solução mais rápida e menos invasiva e dispendiosa. Sempre que numa consulta médica de rotina é identificado algum problema, entende-se que este ainda está na sua fase inicial e que ainda é simples realizar o tratamento, com custos inferiores.

Já no caso de problemas de saúde em fases avançadas, por vezes, o tratamento torna-se mais complexo, pois pode implicar o envolvimento de especialistas de várias áreas, internamentos, cirurgias e medicação mais dispendiosa. Em muitas situações, os custos elevados de um tratamento de saúde podiam ser amenizados com as consultas regulares, exames de rotina e correto tratamento, antes do agravamento da doença. Não acha? O mesmo no que diz respeito aos cuidados com a sua saúde oral.

Leia também: Saiba quais são os alimentos que prejudicam a sua saúde oral

Cuidar da saúde oral faz com que economize

Pode acreditar quando se diz que é possível poupar dinheiro ao cuidar da saúde dos seus dentes e do seu sorriso!

Controlar e tratar pequenas cáries, gengivites e outras doenças da boca numa fase inicial é muito importante. Evita que o problema evolua a ponto de necessitar de tratamentos mais complexos e demorados, ou até que a falta de cuidados leve até a uma situação de perda dentária.

Cuidar da saúde oral e manter os dentes bem tratados garante um sorriso bonito e saudável, previne o mau hálito, evita inflamações e sangramentos causados por doenças orais, melhora a sua autoestima e ainda proporciona um correto processamento da alimentação, já que não sentirá dor ou desconforto ao alimentar-se, além de evitar problemas gástricos e as famosas dores de dentes (entre outros problemas dentários).

Tenha cuidado ao poupar na qualidade da sua saúde

Para encontrar um médico dentista de confiança, deve ter em conta a seriedade da clínica e verificar se é bem recomendada. Para além disso, deve avaliar a experiência da equipa, a qualificação, os casos que já tratou, a segurança que transmite e toda a estrutura da clínica onde vai realizar o tratamento: equipa, equipamentos, ambiente, higiene e materiais para realização de tratamentos.

É possível identificar todos estes fatores na consulta de avaliação. Como acontece quando vai ao médico para saber um determinado diagnóstico, o dentista também precisa de avaliar a sua boca e identificar se existe algum problema. Assim, faz um plano de tratamento personalizado ou, se a sua saúde oral estiver em dia, faz simplesmente uma higienização, frequentemente recomendada para evitar o tártaro e as bactérias que afetam os dentes.

 

A consulta de avaliação é um procedimento essencial: será atendido por um médico dentista que vai ouvir o que tem a dizer, fazer uma avaliação da sua saúde oral e, neste momento, será realizado um raio-X, indispensável para cuidar da saúde oral e fazer o correto diagnóstico. Depois, é feito um planeamento do seu tratamento. Não estando tudo bem, o seu problema pode ser uma cárie, uma periodontite ou pode até necessitar de colocar de um implante dentário, caso tenha falta de dentes ou algum dente já comprometido. Depois de se fazer o diagnóstico e o plano de tratamento, é apresentado um orçamento, visto que nada deve ser realizado sem o seu consentimento e aprovação.

O respeito ao paciente, a sua história, e os seus medos e necessidades são primordiais para criar uma relação de confiança entre médico dentista e paciente. Sem isso, o tratamento não acontece como esperado, pois ambos precisam de estar em sintonia e alinhados para seguir com o tratamento proposto. Lembre-se que, tal como a sua saúde oral, está em primeiro lugar! A boca é indispensável para a nossa alimentação, para a fala e para a nossa autoestima e segurança, envolvendo a saúde de todo o nosso corpo.

De qualquer forma, vale a pena reforçar que, mesmo que, durante a consulta de rotina, o dentista identifique algum problema para tratar, se este estiver na fase inicial, será mais simples e rápido recuperar a sua saúde oral, podendo ter custos mais baixos, já que a situação ainda se apresenta mais simples de resolver. Por outro lado, quase todos os casos que envolvem a medicina dentária têm solução, sem que para isso seja necessário sofrer, sentir dor ou desistir do tratamento.

Todos os casos, dos mais simples aos mais complexos, com o tratamento especializado e feitos por profissionais capacitados, têm o objetivo de cuidar da saúde e manter a saúde oral em perfeito estado, devolvendo a sua autoestima, qualidade de vida e confiança. Por isso, não demore nem adie as atitudes de prevenção em relação à sua saúde oral e verá que o seu bolso também agradece.

Como acertar ao cuidar da saúde oral 

A palavra-chave para cuidar da sua saúde oral é prevenção. Perceba como é importante cuidar da sua boca e do seu sorriso e não hesite em visitar o médico dentista de seis em seis meses. Além disso, faça a sua higiene oral corretamente no dia-a-dia, escove os dentes, no mínimo, três vezes por dia, utilize o fio dentário e o elixir. 

E, lembre-se, poupar na saúde não é sinónimo de economia.

Conte connosco para manter a sua saúde oral em dia. Clique aqui, descubra qual é a clínica mais próxima de si e agende a sua avaliação oral sem custos

Relacionado
Saúde Oral
Dores de dentes: quando devo ir ao médico dentista?
By Letícia Beilfuss | 19/10/2020

Fazer check-up anual e visitar o seu médico dentista com regularidade é a melhor maneira para ficar longe de qualquer problema quando se fala de doenças orais. Por outro lado, a dor de dentes pode surgir de repente, sem avisar, e acabar por atrapalhar a sua rotina. Quando isso acontecer, precisa perceber imediatamente do que se trata e se é necessária uma visita ao médico dentista.

Causas da dor de dente

Cárie - é a causa mais comum de dor de dentes. Entretanto, deve-se ficar atento, pois começa a causar desconforto depois de algum tempo, quando já está instaurada. 

Abcesso - também pode ser responsável pela dor de dentes e é causado por infeção e acumulação de pus na raiz. Neste caso é necessário visitar o médico dentista e drenar o pus. Se a situação se agravar, a extração do dente será talvez a única solução.

Sensibilidade - é outro fator que pode causar dor de dentes na ingestão de alimentos frios e quentes.

O que fazer quando não pode ir ao médico dentista imediatamente?

Nada se compara a uma consulta com o médico dentista e, nenhuma medida caseira substitui uma profissional, entretanto, se a dor de dentes surgir e não puder ir a uma consulta em breve, saiba que algumas ações e atitudes podem amenizar o problema. Conheça algumas:

Bochecho com água morna e sal

Esta medida é indicada para quem tem uma infeção no dente. Aqui, o sal é responsável por eliminar a infeção e a temperatura da água vai drenar os fluidos desta infeção, além de acalmar o local inflamado.

Compressa fria ou gelo

Caso perceba que o local onde o dente afetado está inchado, coloque uma pedra de gelo na boca. Vai ajudar a reduzir o fluxo sanguíneo na região e ajudar a desinchar. 

Alimentos que ajudam a combater a dor de dentes

Alguns alimentos podem ajudar no momento da dor, como, por exemplo, o alho, que atua como bactericida. Outra opção é a própolis, pois tem uma poderosa ação anti-inflamatória e não possui contraindicações. Por último, mas não menos importante, vem o cravo-da-índia, rico em substâncias analgésicas e que ajuda a diminuir a dor. Mastigue-o ou faça a sua ingestão através de um chá para amenizar o desconforto. 

Prevenção é a melhor solução

A dor é o sinal que o corpo dá de que algo está bem, portanto, não deve ser deixada de lado. Quando sentir qualquer desconforto na boca, procure um expert. Quando um problema é tratado no início, evita complicações e até pode mesmo travar a perda dentária. Pode parecer algo distante, mas entre uma simples dor e a perda de um dente o caminho não é assim tão longo.

Confie o seu sorriso ao PNID

Há muitas razões para confiar no PNID. Em 10 anos, já contamos com mais de 45.000 casos de sucesso em tratamentos com Implantes Dentários. Durante este período, foram verificados casos diferentes, dos mais simples aos mais complexos, sendo que, para cada um, oferecemos um tratamento especial, exclusivo e indolor. 

Acredite que não está sozinho! Pode contar com os nossos profissionais para tirar todas as suas dúvidas e superar o seu medo de ir ao médico dentista. Agende uma consulta de avaliação oral sem custos, para poder conhecer a nossa clínica mais perto de si! 

Saúde Oral
Mitos e verdades sobre os dentes do siso
By Letícia Beilfuss | 09/10/2020

Não existem dentes que suscitem mais mitos, desconhecimento e problemas do que os dentes do siso, mas sabe o motivo? Os dentes do siso surgem entre os 17 e os 25 anos e são popularmente conhecidos como o dente do juízo. O dente do siso tira o sono a muita gente e poucos são os que sabem alguma coisa sobre eles: como funciona o seu processo de nascimento, extração ou possíveis tratamentos. Leia o artigo e tire as suas dúvidas!

O que são os dentes do siso?

São o último conjunto de dentes molares que, para a maioria das pessoas, apenas aparecem no final da adolescência. Quando estes nascem direitos e alinhados com os restantes, podem ajudar na mastigação. Caso contrário, há grandes chances de criar problemas — podendo mesmo ser necessário retirá-los.

 

É necessário extrair os dentes do siso?

Não. Nem sempre é necessário retirar os dentes do siso. No entanto, dado que são os últimos dentes a nascer, em muitos casos acaba por não existir espaço para eles.

Quando é que é necessário extrair os dentes do siso?

As causas mais comuns e que exigem a extração são:

  • Ficam presos: como são os últimos a nascer, eles podem ficar presos debaixo do maxilar ou das gengivas, causando desconforto.
  • Ângulo errado: os dentes nascem com o ângulo errado, criando alguma pressão sobre os restantes.
  • O maxilar é demasiado pequeno: poderá não existir espaço no maxilar para ter uma dentição completa e os dentes do siso.

Dentes do siso podem nascer já com cárie? 

Sim. Como o siso também está numa região de difícil acesso para a escovagem dos dentes, é comum que acumule mais resíduos alimentares nessa região e torne o local mais propício à cáries. Mesmo que o dente não esteja visível na boca, se houver inflamação na gengiva as bactérias podem atacar o dente, provocando cárie. Neste caso, a indicação é que seja feita a extração do dente.

Todas as pessoas têm 4 dentes do siso?

Não. Tem sido cada vez mais comum as pessoas nascerem sem estes dentes. Pela evolução dos padrões alimentares nos últimos séculos, com comidas mais pastosas e cozidas, o siso tornou-se como  um dente “em extinção”. É uma adaptação do ser humano à evolução da espécie.

Quando se extrai um dente, é necessário retirar os outros todos?

O que se recomenda é que, por exemplo, se foi retirado o siso superior do lado esquerdo, o inferior do mesmo lado também seja extraído. É o chamado dente antagonista. Esse dente pode tentar ocupar o espaço do dente removido e magoar a gengiva oposta.

Por que motivo temos dentes do siso?

Segundo diversos historiadores, os nossos antepassados tinham este conjunto extra de molares para facilitar a mastigação de comida crua. Antigamente as pessoas alimentavam-se de maneira diferente, muitas vezes sem cozinhar adequadamente os alimentos e sem opções para substituir as proteínas acabavam por perder muitos dentes. Então, o dente do siso nascia para substituir essas perdas. Hoje isso já não se verifica. É uma evolução natural do ser humano e chegará um momento em que o dente do siso poderá deixar mesmo de existir.

Confie o seu sorriso a experts

O sorriso é o nosso cartão de visita. Além de necessitar de cuidado e atenção por falarmos de saúde, o sorriso também tem um papel muito importante na nossa autoestima. Comece já hoje a mudar a sua vida. Marque a sua consulta de avaliação oral SEM CUSTOS e venha conhecer o PNID – Programa Nacional de Implantes Dentários

 

Saúde Oral
Dia do sorriso: 5 dicas para cuidar do seu
By Matheus Joffre | 02/10/2020

Engane-se quem pensa que cuidar dos dentes é uma preocupação apenas estética. A boca é um dos órgãos mais expostos do nosso corpo e pode ser a porta de entrada para diversos problemas dentários. Por isso, a prevenção é, sem dúvida, a chave para uma melhor saúde oral.

Para prevenir existem duas maneiras que devem ser trabalhadas juntas. Um fator relevante para quem procura um sorriso saudável e bonito é ir ao médico dentista com regularidade. Além da visita regular a um expert, também necessitamos de prestar atenção à nossa rotina. Algumas atitudes e hábitos diários contribuem e diminuem riscos. Vamos falar sobre cada um deles nos próximos tópicos. 

Vantagens de cuidar do sorriso

Um sorriso bonito transmite a ideia de saúde, higiene e bem-estar. Não é à toa que se costuma dizer que ele é o cartão de visita de qualquer pessoa. Veja mais vantagens de cuidar do seu sorriso:

  • Evita doenças;
  • Evita a perda de dentes;
  • Adquire autoestima;
  • Garante gengivas saudáveis;
  • Assegura uma boa mastigação.

5 dicas que ajudam a cuidar do seu sorriso

Dedique-se à higienização dos dentes

Não tenha pressa! Uma escovagem rápida é melhor que nada, entretanto, evite apressar. Quando não escovamos os dentes de maneira correta, acumulamos restos de comida, causando mau hálito e, com o tempo, a proliferação de bactérias. Tente escovar os dentes 3x ao dia (manhã, após o almoço e antes de dormir).

Use o fio dentário

O fio dentário é responsável por chegar a alguns locais dos dentes que as escovas não chegam, por isso é que o seu uso é tão importante. Tente usá-lo sempre que for fazer a higienização dos seus dentes, se não for possível, use, pelo menos, uma vez por dia e preferencialmente antes de dormir.

Escolha produtos de qualidade

Produtos de qualidade não significam necessariamente os mais caros da prateleira do supermercado ou da farmácia. Leia atentamente sobre a pasta dentífrica escolhida e a sua composição. Já em relação às escovas, prefira as que possuem cerdas macias ou médias, pois essas não agridem tanto o esmalte dos dentes. Outra recomendação é não esperar que a sua escova fique velha para trocar. Troque a cada três meses, pelo menos, ou quando observar que as cerdas estão muito escuras. Se quiser ser ecologicamente correto, experimente a escova de bambu!

Vá ao médico dentista!

Prevenção sempre será a melhor solução quando se trata de saúde oral. Crie o hábito de ir ao médico dentista, da mesma maneira que tem o costume de fazer um check-up anualmente.

Alimentação também é importante

Poderíamos iniciar este tópico dizendo-lhe para evitar doces, mas proibir nunca é a solução. Se não abre mão de um doce, pelo menos mantenha a limpeza dos dentes após consumi-los, principalmente antes de dormir. Pode comer doces, mas evite dormir com vestígios deles nos dentes. Além disso, esteja ciente que alimentos que possuem mais corantes na sua composição, podem influenciar a coloração dos seus dentes.

Por fim, use a alimentação ao seu favor. Consuma alimentos ricos em cálcio, que ajudem a fortalecer os dentes e a combater a acidez, que provoca o desgaste do esmalte. Logo, leite, iogurte e queijo são ótimos alimentos para incluir na sua alimentação. Outras dicas como maçã, pera, melão e morango também ajudam a evitar o processo que pode acabar por deixar os seus dentes amarelos.

Confie o seu sorriso a bons experts

Saber em quem confiar o seu sorriso é uma decisão muito importante, pois melhorar ou mudar o seu sorriso vai ajudá-lo a ser mais feliz. E, consequentemente, prevenir doenças e transtornos futuros. Para o ajudar a ter uma saúde oral em dia, através da colocação de Implantes Dentários, confie no PNID, o Programa Nacional de Implantes Dentários.

Temos mais de 45.000 casos de sucesso, profissionais capacitados, experts em Reabilitação Oral e em transformar sorrisos. Seja um deles!