Marcação Online
Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

pessoas como nós

Sandra, uma pessoa como nós, sensível e forte.

By Monica Manske | 04/02/2020

Muitos pacientes que frequentam as nossas clínicas já conhecem a Sandra, a nossa Gestora de Pacientes - afinal, ela já é praticamente da "casa", devido ao seu tempo de antiguidade na empresa. Certamente, vai perceber que se trata de uma pessoa como nós.

Apresentamos-lhe uma mulher sensível, forte e batalhadora, que já dedica muitos anos da sua vida ao acompanhamento dos pacientes que confiam no PNID como solução para a sua saúde oral. 

Sandra faz parte dos mais de 300 colaboradores que temos focados na sua qualidade de vida, sendo mais uma pessoa como nós, integrada numa equipe de excelência.

Vamos conhecer um pouco da sua história de vida, aquilo que a motiva, quais as suas dificuldades e gostos pessoais. Vai poder conhecer uma Sandra um pouco diferente da que vê nas clínicas, e a história de vida que existe para além do lado profissional.

Está preparado?  

Saiba mais sobre a história da Sandra, uma pessoa como nós.

Nome: Sandra Luísa Vieira Pereira

Idade: 43 anos

Tempo de casa: 9 anos 

Profissão: atualmente, ocupa o cargo de Gestora de Paciente, mas já passou por diversos departamentos ao longo do seu tempo de casa, tendo desempenhado diversas funções que permitiram que obtivesse ainda mais confiança para alcançar novos desafios. 

A sua função consiste em acompanhar pacientes dentro da clínica, em Portugal e em Londres.
 

Foi a profissão que a escolheu

Uma curiosidade sobre a Sandra: tem naturalidade holandesa e nacionalidade portuguesa. Emigrou com a família para Portugal aos 12 anos, onde estudou no Porto e iniciou a sua carreira profissional.

 

A sua trajetória de sucesso teve início no negócio de família, no qual tinha uma situação segura e confortável que a fazia, por vezes, questionar as suas escolhas, como acontece com tantas "pessoas como nós". Com o convite para trabalhar na Swiss Dental Services, em 2010, viu a oportunidade de fazer parte de novos desafios, sair da sua zona de conforto e desenvolver ainda mais as suas capacidades, voltadas para o lado humano:

"O gosto pelo contacto com as pessoas e a característica de querer solucionar problemas acabou por fazer todo o sentido no trabalho que desenvolvo."

Quando questionada sobre como vê a sua função, e o impacto que tem na vida dos pacientes, ressalta:

"Todos os dias sou motivada pela quantidade de pessoas que nos procuram, e a oportunidade de poder propor soluções e ajudar a iniciar o percurso para uma vida melhor é extremamente gratificante".

Vale a pena destacar que a Sandra acompanha inúmeros pacientes que precisam de reabilitar a saúde oral através da colocação de implantes dentários, podendo este tratamento funcionar com implantes unitários ou próteses fixas totais (ROTA). São pacientes que chegam com medos, receios e dúvidas, e que a Sandra, com a sua empatia, consegue tranquilizar e motivar a seguir com o tratamento que vai transformar as suas vidas.

Além disso, Sandra comenta que alguns dos seus pacientes se tornaram verdadeiros amigos, e que a preocupação entre si e os pacientes é mútua: "eles também cuidam de mim, perguntam onde estou, e importam-se com o meu bem-estar", revela. Esta reciprocidade traduz-se em confiança.

 

"São pessoas que, de alguma forma, me fazem sentir parte da vida delas quando decidiram confiar em nós e dar início ao tratamento que necessitavam. Eu simplesmente tive a oportunidade de lhes dar o empurrão necessário para se sentirem confiantes, e acreditarem que é possível ter uma vida melhor, dando-lhes todo o apoio necessário durante todo o percurso".

No seguimento da nossa conversa, abordamos também assuntos mais pessoais, que nos permitiram chegar a uma confissão:

"Eu própria não gostava de ir ao dentista!"

Depois desta afirmação, consegue imaginar a Sandra a ser também paciente do PNID, além de colaboradora?

Depois de um episódio ocorrido durante umas férias, em 2016, quando teve que passar vários dias no quarto de hotel com fortes dores de dentes e a cara inchada, Sandra entrou para o nosso "leque" de pacientes! Não nos podemos esquecer que a Sandra é uma "pessoa como nós", portanto, viveu a experiência de ser uma pessoa com receios e inclusive com medo de ir ao dentista.

Como as dores e o inchaço chegaram a melhorar momentaneamente, Sandra achou que podia adiar a sua ida ao dentista... Mas, não foi bem assim. O problema agravou-se e, hoje, Sandra faz parte dos nossos mais de 40.000 casos de sucesso e dá-nos uma mensagem de motivação sobre o tratamento pelo qual passou:

"Hoje eu própria já faço parte das estatísticas! Também eu tenho implantes dentários. Talvez por ter passado pela experiência possa afirmar com conhecimento de causa que não foi difícil!  

Este é mais um motivo pelo qual pode confiar nos nossos procedimentos. Sandra explica a quem faz o tratamento que já vivenciou pessoalmente o tratamento com implantes dentários. 

No que respeita aos cuidados e hábitos de higiene oral que acabamos por não cumprir devidamente, a Gestora de Pacientes conta-nos a sua própria experiência neste sentido:

"Cuidar da nossa saúde deve estar no topo da lista das prioridades da nossa vida. Já sabia disso, mas eu dizia isso aos outros!"

Se não faz ideia do motivo pelo qual Sandra faz esta afirmação, contamos a seguir.

Como seres humanos preocupados com o próximo, muitas vezes deixamos de cuidar de nós e da nossa saúde, dando prioridade à família, aos filhos, marido ou esposa. Estas funções exigem muita dedicação, e associuadas ao trabalho e aos amigos acabam por ter consequências no seu dia a dia:

"Aprendi isso recentemente, depois de me ter sido diagnosticado cancro, que tenho de cuidar de MIM também!"

Felizmente, tudo está a correr muito bem e Sandra está forte e bem-disposta, sentindo que consegue encarar muito melhor os problemas que a vida coloca à sua frente. Destaca a influência que a felicidade e o bem-estar próprio têm nas relações interpessoais - tudo o que está dentro de nós interfere no nosso meio.

Todos estes pensamentos e sentimentos influenciaram a sua forma de (vi)ver a vida e, desde então, têm trazido ótimos resultados, tanto no que respeita ao tratamento como à sua rotina e nas prioridades que Sandra passou a ter:

"Não vou mais deixar de fazer ou adiar aquilo que quero e preciso solucionar para ser mais feliz! Vou arranjar tempo para fazer e lutar pelo que me dá prazer".

Sabe do que a Sandra, sendo uma "pessoa como nós", gosta?

Quando não está a dedicar toda a sua atenção aos pacientes, os seus gostos são simples e comuns, mas nem por isso, com menos significado.

Pelo contrário: Sandra vê nas pequenas e singelas ações quotidianas a sua beleza e a importância:

"Cozinhar para a família, ler, passear, conviver com família e amigos, rir muito (dizem que faz bem à saúde !

Relacionado
PESSOAS COMO NÓS
Dra. Marcela Conor: qualidades de uma pessoa como nós
By Monica Manske | 21/02/2020

Há quem pense que os médicos dentistas são pessoas diferentes, com habilidades e gostos incomuns ou mesmo que não se assemelham a pessoas de outras profissões... Fomos tirar a prova dos nove e, com esta entrevista, mostramos que os nossos médicos dentistas têm as mesmas qualidades de uma pessoa como nós, com sentimentos, ligados à família e amigos, que têm sonhos, angústias, qualidades e, neste caso, uma bonita história de vida.

Apresentamos-lhe a Dra. Marcela Conor, médica dentista nas clínicas do PNID. Trabalha connosco há 9 anos e, atualmente, ocupa a função de Diretora Clínica.

Nesta entrevista, percebemos a dimensão da "bagagem" profissional da Dra. Marcela, assim como as atividades que desenvolve além da sua profissão. Temos a certeza que se vai surpreender, mas esta história também nos faz sentir motivados!

Vamos conhecer as qualidades de uma pessoa como nós

Como terá a Dra. Marcela decidido ser médica dentista?

Para quem não sabe, a Dra. Marcela Conor é brasileira. Formou-se no Brasil em 2002 e começou logo a trabalhar. Em 2010, mudou-se para Portugal, continuando a praticar a profissão de médica dentista.

Mesmo tendo passado por inúmeras dificuldades (inclusive financeiras e de reconhecimento do seu diploma) para continuar a exercer em Portugal, nunca desistiu. Lutou, trabalhou como assistente dentária e hoje é uma profissional respeitada, com um longo caminho percorrido, cheio de lutas e glórias. A persistência de uma pessoa faz toda a diferença nos resultados que ela alcança!

Isso faz-nos pensar que, apesar de muitas vezes nos sentirmos desencorajados, há sempre histórias como esta, que nos mostram que é importante acreditar, ter objetivos e lutar por eles.

"Escolhi a medicina dentária por ser uma profissão que reúne arte - uma área de que gosto muito (construção, escultura e confeção de dentes, por exemplo) - e saúde (curar e controlar doenças da cavidade oral)."

No dia-a-dia da sua profissão, a Dra. Marcela vê de tudo: pacientes muito preocupados com a saúde oral e outros muitos descuidados! E neste processo aproveita para desvendar alguns mitos que as pessoas têm sobre os problemas dentários, sobre os tratamentos e entende que o seu papel enquanto profissional vai para além de tratar dos dentes dos pacientes!

"Eu acho que o médico dentista tem o papel fundamental de também educar e instruir as pessoas quanto ao assunto que, infelizmente, ainda não é do conhecimento comum, e quanto aos cuidados e prevenção dos problemas relacionados com a cavidade oral como um todo".

Entre as qualidades de uma pessoa como ela, destaca-se a motivação, que serve de exemplo aos filhos

Quando questionámos sobre o que a motiva para sair de casa todos os dias, a Dra. Marcela não tem dúvidas: reforça que os motivos são a garra e a vontade de vencer. Somado a isso, existe o desejo de ser uma pessoa e uma profissional cada vez melhor, afirmando que incute nos filhos este modo de estar!

"Só vence quem vai à luta!"

A primeira experiência com a medicina dentária

A Dra. Marcela conta-nos que, quando tinha 9 anos de idade, partiu um pedaço dum dos seus dentes da frente. A sua mãe levou-a imediatamente ao dentista, para reconstruir o dente. Ela recorda-se bem de o dentista lhe dizer para ter cuidado, para não ter que refazer sempre aquela restauração e, com esta orientação, a menina Marcela passou a ter muito cuidado com os seus dentes. Cresceu com esta ideia de prevenção, que nunca lhe foi ensinada de facto, mas desenvolvida e aplicada na sua rotina.

Então, pedimos à Dra. Marcela que nos contasse algo que poucas pessoas soubessem sobre ela!

Ainda antes de se formar, a Dra. Marcela usava um talento como recurso para pagar os seus materiais do curso de medicina dentária. Fazia atuações com grupos de teatro, meio em que trabalhou desde a adolescência e até vir para Portugal. Com o teatro, ela foi capaz de vencer a sua timidez e, ainda hoje, ser atriz é aquela que considera ser a sua segunda profissão e que a enche de orgulho e gratidão. 

Além do teatro, a Dra. Marcela aventurou-se no mundo da dança e também da música, tocando piano, instrumento que aprendeu aos 11 anos. São qualidades de uma pessoa como tantas outras que conhecemos e que merecem todo o reconhecimento.

Se acha que as qualidades de uma pessoa como a Dra. Marcela acabam por aqui, engana-se!

Vamos revelar outro talento guardado a 7 chaves: a Dra. Marcela ainda desenha roupas! Pouquíssima gente em Portugal sabe disso... até a este momento!

Esta doutora surpreende-nos com as suas inúmeras habilidades ligadas à arte, seja a de fazer sorrir ou mais ligada à 7ª arte!

Ao falarmos dos seus primeiros anos de vida, a Dra. Marcela acabou por nos contar mais sobre a sua infância e não sobraram dúvidas de que esta foi intensa, com atividades que a ajudam a desenvolver as qualidades de uma pessoa tão completa e ativa.

"Tive uma infância muito feliz, com muitas brincadeiras de rua, amigos, vivia numa terra abençoada com calor. E fui uma criança que tomou muito banho de chuva e de riacho, corria de pé no chão e sempre fui muito estudiosa."

Já está a imaginar tudo o que a Dra. Marcela viveu até se tornar numa referência na sua profissão e ser uma pessoa humilde e humana? É muita estrada percorrida e muitos desafios vencidos, sempre com muita garra!

As qualidades de uma pessoa que está sempre ao lado da Dra. Marcela

Uma vida leve, feliz e cheia de experiências é o que a Dra. Marcela e o marido querem para si e também para os seus filhos, com 6 e 12 anos de idade. Como casal, tentam sempre guiá-los no sentido de os tornarem em pessoas sensíveis e empáticas com o próximo, vivendo de maneira simples e com tranquilidade.

Mas a família não fica pelo marido e os dois filhos! Há ainda uma cadela labrador, chamada Brigitte.

E mesmo com toda a dedicação à família, a vida profissional ocupa um espaço extremamente importante.

"Quando estive grávida do meu segundo filho, trabalhei e fiz cirurgias até 15 dias antes de ele nascer. Às vezes estava a fazer as cirurgias e o bebé mexia e os pacientes sentiam os pontapés! Até hoje, há pacientes que contam há quanto tempo fizeram a sua reabilitação oral pela idade do meu filho!"

É um relato engraçado e emocionante, não acha?

Nos seus momentos de lazer, a Dra. Marcela tem as suas preferências bem definidas.

"Adoro cinema e música. Adoro os Beatles e a Música Popular Brasileira (MPB). Gosto de ler (recomendo "Cem Anos de Solidão" do Gabriel García Marquez, a todos). Sei poesias de memória, principalmente do Vinícius de Moraes."

Mas a Dra. Marcela ainda nos dá mais uma dica sobre si: diz que tem boa memória e tem um arquivo de pacientes na sua cabeça!

Portanto, ao tratar da sua saúde oral com a Dra. Marcela, pode apostar que não será esquecido e entrará para a sua história profissional.

 

Quais são os sonhos da Dra. Marcela?

Mantendo a tradição das qualidades de uma pessoa simples, como a maioria de nós, os seus sonhos refletem a sua alma e o que habita o seu coração.

"Tenho o sonho de poder reunir toda a minha família brasileira perto de mim e ver os meus filhos realizados na vida."

Para terminar esta entrevista tão reveladora e cheia de emoção, a Dra. Marcela reforça a sua forma de pensar e agir para com o próximo, trate-se de um amigo, paciente, familiar ou colega de trabalho.

"Tento ser para as pessoas o que eu gostaria que elas fossem comigo, porque nesta vida eu só dou o que eu tenho!"

Com um sorriso no rosto, fica nítido que ela põe amor e dedicação em todas as coisas que faz, mantendo-se sempre atualizada, lendo, estudando e aprendendo com os colegas da clínica e com todas as pessoas que fazem parte da sua vida, numa troca infinita de experiências.

Estas são algumas das qualidades de uma pessoa como a Dra. Marcela, a quem deixamos uma palavra de gratidão por ser esta excelente mulher, mãe, profissional e artista. Uma pessoa como nós, que nos inspira e motiva com a sua história de vida!

E você, já pensou nas qualidades de uma pessoa que considera importantes?

PESSOAS COMO NÓS
Sorrir de boca fechada, nunca mais: uma história real.
By Monica Manske | 18/02/2020

Por vezes, demoramos um pouco até tomar uma decisão que nos pode beneficiar, até porque costumamos dar prioridade às necessidades das outras pessoas. Mas quando chega ao ponto de ter de sorrir de boca fechada, sentir dores nos dentes todos os dias e condicionar a sua vida, é altura para buscar ajuda profissional.

Hoje, temos o prazer de apresentar o Albertino Correia, que nos relata a sua história. Factos da sua vida que o levaram a sorrir de boca fechada e como chegou até o PNID em busca de uma solução à sua medida. Para além disso, conta-nos a sua experiência, sendo mais um caso de sucesso como os outros milhares solucionados pela nossa equipa expert em implantes dentários.

 

Ninguém merece sorrir de boca fechada.

Um sorriso largo, bonito e saudável transmite os nossos sentimentos e expressa a nossa alma, certo? Por isso, gostamos de estar perto de pessoas que sorriem, que retratam a sua alma através do sorriso. Em contrapartida, sorrir de boca fechada ou não sorrir, inibe a aproximação, pois parece que evitamos o contracto com os outros. Preste atenção ao tipo de sorriso e vai perceber como sorrir de boca fechada pode ser prejudicial para as relações interpessoais. 

O facto é, ninguém merece sorrir de boca fechada e muito menos sofrer com dor de dentes. Para isso, existem técnicas e recursos da medicina dentária que, somados às clínicas e profissionais experts em implantes dentários, resolvem os problemas de saúde oral com segurança, conforto e excelência.

Albertino costumava sorrir de boca fechada, mas isso é passado.

Um dos pacientes que fala com orgulho e satisfação da sua decisão em procurar uma solução para o seu problema dentário, é o Albertino Correia. Teve dúvidas, receios, e adiou por anos o tratamento que acabou por lhe devolver o sorriso e a qualidade de vida, mas que ao fazê-lo, agora recomenda os implantes dentários de olhos fechados.

Conta-nos que não pensava colocar implantes dentários, mas que, confrontado com a deterioração da sua boca, pela falta de dentes na frente e também atrás, começou a ver o tratamento como uma opção. 

Se deseja conhecer a história na íntegra, pode assistir AQUI.

Devido à falta de dentes, que já era muito perceptível, o Albertino sorria de boca fechada. Mas para além disso, sentia dores, coisa que agora já não sente mais :

"Comer... era incrivelmente difícil comer! .... à frente não conseguia cortar os alimentos por causa dos dentes da frente, estavam todos a abanar".

Imagine como era difícil para o Albertino cada refeição!

Tudo começou depois de sofrer um acidente, e por conta disso, começaram os seus problemas dentários. Veja a sua história completa.

Como consequência, pela mobilidade dentária e pelas dores, Albertino numa tentativa para se proteger, mastigava pouco e engolia a comida. Este tipo de mastigação, inacabada, pode gerar problemas nutricionais e gástricos graves, pois os alimentos chegam ainda muito inteiros ao estômago.

Como foi a escolha da clínica para nunca mais sorrir de boca fechada:

Segundo o Albertino, estava já a pensar fazer o tratamento e então, um dia, ao navegar pelo Facebook, entrou em contacto com a clínica. Prontamente foi convidado a fazer uma avaliação oral (que não tem custos associados). Feito isso, recebeu logo a proposta de tratamento e, segundo as suas palavras: "Nem discuti".

E mais, em relação à escolha da clínica: 

"Foi amor à primeira vista, provavelmente".

 

O Sr. Albertino tem um recado para quem está a sorrir de boca fechada:

Quando o tratamento é feito com dedicação também por parte do paciente, tudo corre bem, sem dores, desconforto ou qualquer complicação. Pelo cuidado que teve no antes, durante e após a cirurgia de reabilitação oral através de implantes dentários, Albertino é enfático nas suas palavras:

"Se alguém quiser colocar implantes, recomendo 200%!

Felizmente, foi das melhores coisas que fiz em toda a minha vida". 

Quando questionado sobre a dor, pois muitas pessoas acham que o tratamento pode causar demasiada dor, ele revela que nunca sentiu dores. Isso porque também seguiu todas as recomendações médicas e o seu tratamento foi mais um caso de sucesso, onde clínica, médico, equipa e paciente, trabalharam juntos para recuperar o sorriso.

Dor de dentes, nunca mais.

Além de voltar a sorrir com vontade, mostrando o seu sorriso agora saudável e completo, Albertino agora vive todos os dias sem dor de dentes. Uma mais valia que não tem preço para a sua qualidade de vida.

Sob forte emoção e felicidade, as suas palavras finais retratam isso mesmo.

"Nunca mais vou ter dor de dentes, isso é uma realidade. Nunca mais vou ter!", finaliza Albertino.

 

Como faço para não precisar sorrir de boca fechada?

Se tem esta pergunta na cabeça, a questão é simples: pode fazer como o Albertino e visitar o nosso Facebook, ou mesmo fazer diretamente o seu registo aqui. A nossa equipa de experts vai agendar a sua consulta de avaliação oral sem custo algum, e da forma como aconteceu com o Albertino, vai receber o seu plano de tratamento detalhado. Depois, é só agendar o início do tratamento com implantes dentários: um tratamento seguro, moderno, indolor e que resolve o seu problema de perda dentária com excelência.

Siga o exemplo do Albertino e transforme também a sua vida.

Se ainda não teve a oportunidade de ver o depoimento do Albertino pode fazê-lo ao clicar aqui.

 

Quais as vantagens dos implantes dentários?

O tratamento com implantes dentários tem muitas vantagens, além das que abordamos aqui.

Podemos ainda destacar:

- Segurança ao falar e comer, pois são fixos;

- Altamente seguros: taxa de sucesso superior a 95%

- Têm aspecto natural, de forma que ninguém percebe se são dentes naturais ou implantes dentários;

- Podem ser a solução para quem não quer mais usar as instáveis próteses removíveis;

- Facilidade de higienização semelhante aos dentes naturais;

- Conforto, estética e qualidade de vida são fatores importantes;

- Sendo um tratamento que resolve casos dos mais simples aos mais complexos de perda dentária, é totalmente indolor.

- Durabilidade indiscutível: com os devidos cuidados, duram a vida toda e têm garantia vitalícia.

 

Se ainda tem dúvidas, não hesite em seguir a dica do nosso paciente e optar pelo PNID: entre em contato connosco, agende a sua avaliação oral sem custos e venha conhecer pessoalmente a nossa clínica. Estamos em várias cidades, uma certamente fica perto de si.

Vai ser bem recebido por uma equipa expert, que lhe dará todas as informações necessárias para que sorrir de boca fechada e sentir dor de dentes não faça mais parte da sua vida.

Estamos cá, à sua espera.

 

 

 


 

Saúde
Já pensou no que a língua diz sobre a saúde?
By Cátia Aguilar | 11/02/2020

Quando pensamos em saúde oral, damos atenção a todos os órgãos da boca, exceto à língua. Dentes, gengivas e, por vezes, até os lábios, são alvo de preocupação. Mas será que já pensou no que a língua diz sobre a saúde oral, e até sobre a sua saúde no geral?

Está na hora de revelarmos algumas coisas que talvez desconheça sobre o órgão mais forte do corpo!

 

A importância da língua

Tal como os dentes, a língua ajuda no processo de mastigação.

Para além disso, ao entrar em contacto com a língua, os alimentos ativam os recetores das papilas gustativas que, por sua vez, enviam estímulos para o sistema nervoso. Esta perceção é reconhecida como paladar. Ou seja, é graças à língua que conseguimos identificar o sabor de cada alimento. E este papel é extremamente importante. Mas também é graças a este contacto com os alimentos que as bactérias se depositam na língua.

Mas o seu papel vai muito para além da alimentação. É graças a ela que conseguimos falar ou dar um beijo apaixonado.

 

A higiene oral também passa pela língua

Apesar de a sentirmos mais facilmente nos dentes, a verdade é que a placa bacteriana também se acumula na língua.

Beber água é, como em relação a todo o organismo, outro conselho que não deve ignorar. Ao fazê-lo, dilui a saliva e hidrata a língua. Este é um mecanismo simples de limpeza da boca.

Raspar a língua ajudam-nos a livrar de bactérias indesejadas e evita o mau hálito. Para higienizar a língua, pode escová-la com a sua escova de dentes, caso não tenha alternativa. Esta remove a placa bacteriana, mas não o faz na totalidade, porque não foi criada com esse propósito. Para além disso, por ter um cabo comprido, a escova de dentes provoca a sensação de vómito. O ideal é adquirir um raspador, que basta passar suavemente na língua, do fundo para a frente, a cada escovagem de dentes.

Por também entrar em contacto com a língua, ao bochechar um elixir estará a livrar-se de bactérias que aí estejam escondidas!

E o cuidado deve ser redobrado se tiver um piercing na língua. Muitas pessoas aderem a esta moda, mas a verdade é que um piercing na língua pode dar origem a infeções e outras patologias. Nestes casos, convém ter ainda mais atenção.

A altura em que faz a higiene oral é perfeita para observar a sua língua e perceber se está tudo bem.

 

As cores da língua

Só há uma cor correta para a língua: cor-de-rosa. Quando fica esbranquiçada, pode ser sinal de que a higiene oral não tem sido feita corretamente, mas também pode ser sinal de infeções e tumores!

Se estiver apenas um pouco pálida, pode indicar que tem algum problema digestivo, como uma gastrite.

Se estiver muito vermelha, pode ser um sinal de carência de vitamina B12, anemia ou até diabetes. No caso da anemia, é ainda habitual a sensação de ardor e de que esta está a queimar quando se alimenta, porque a língua fica mais sensível. Com a diabetes, também se pode sentir ardor, como se estivesse a comer algo picante, tal como formigueiro ou boca seca, para além de prejudicar a gengiva.

Mas uma língua vermelha pode indicar ainda mais coisas, como infeções, doenças autoimunes, problemas gástricos ou um estado febril.

Se a língua estiver roxa, geralmente, é um indício de hemorragia interna ou problemas de coagulação do sangue.

Uma língua acastanhada pode sê-lo apenas pela falta de higiene oral ou devido ao tabagismo, consumo de café ou chá preto. Estes hábitos podem dar origem a mau hálito e dificultar a identificação de alguns sabores.

Para além de cor-de-rosa, uma língua saudável deve ser macia e apresentar pequenos relevos espalhados na sua superfície e nas partes laterais.

 

Outros problemas e doenças que se manifestam através da língua

A língua é um órgão cujos tecidos são muito sensíveis. Morder a língua sem querer ou feri-la com um objeto cortante pode dar origem a uma lesão. Por outro lado, geralmente, a sua cicatrização é muito rápida. Por isso, se tiver uma ferida na língua por muito tempo, que custe a sarar, convém que lhe preste mais atenção. Uma ferida que resista durante mais de 15 dias deve ser observada por um médico dentista da sua confiança. Pode ser sinal de algo mais grave, como cancro da boca. Mas o que a língua diz sobre a saúde vai muito além deste grave problema de saúde oral.

 

Aftas – são muito comuns e podem ter várias causas. Caracterizam-se por pequenas lesões arredondadas que causam algum ardor e desconforto. Por vezes até dificultam a alimentação e a fala.

O consumo de alimentos ácidos, a alteração do pH da boca, a carência de vitaminas, alergias alimentares, stress, doenças autoimunes, morder a língua ou cortes provocados por aparelhos ortodônticos são as suas causas mais comuns.

Para lidar com elas, pode colocar gelo diretamente na afta para a anestesiar, assim como usar um elixir sem álcool, para eliminar as bactérias e acelerar o processo de cicatrização. Costumam desaparecer entre 4 a 10 dias e não deixam marcas.

 

Macroglossia – este é o termo que designa uma língua maior do que o normal. Esta condição pode derivar de distúrbios hereditários ou congénitos (portanto, é permanente, como a Síndrome de Down) ou de um distúrbio adquirido (logo, passageira, como tumores ou alergias).

 

Candidíase oral – caracteriza-se pelo aparecimento de placas esbranquiçadas na língua e interior da boca, vermelhidão, sensação de ardor e sabor desagradável. Ocorre devido a uma infeção causada por fungos e não é contagiosa. A falta de higiene oral, o tabagismo e alguns medicamentos podem originar o aparecimento da doença.

 

Estes são apenas alguns dos exemplos de sinais que a sua língua pode dar e de problemas que se manifestam através dela. Ainda que não esteja tão habituado a olhar para a sua língua, passe a dar-lhe alguma atenção, porque pode detetar algum sinal e resolver um problema de forma mais simples e rápida. E, já agora, ir ao médico dentista com regularidade também ajuda neste processo!

Agora, vá ao espelho e perceba o que a sua língua diz sobre a sua saúde!

Quer receber conteúdos exclusivos, promoções e novidades que o vão ajudar a conseguir um sorriso de sonho?

Subscreva a nossa newsletter.

Li e aceito os Termos e Condições