Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

Saúde

Não stress...a sua boca agradece!

By Cláudia Lobo | 11/09/2019

De certeza já ouviu falar do quanto o stress pode influenciar a nossa saúde. Nos dias de hoje, as atribulações e preocupações do dia-a-dia podem ser demasiadas para a nossa mente e corpo.

O que ouve mais dizer é até o quanto o stress prejudica a nossa saúde física e mental.

E se lhe dizer que o stress é um fator preponderante que afeta, e muito, a nossa saúde oral?

É verdade. São vários os estudos mundiais que comprovam que o stress prolongado é uma das principais das causas de problemas que afetam a saúde dos nossos dentes e gengivas.

Fique a saber quais são alguns deles:

 

1. Bruxismo

O bruxismo que se caracteriza pelo ranger incontrolado dos dentes é uma condição que afeta mais de 30% da população mundial e maioria das pessoas nem sabe que sofre desta condição.

O stress tem um papel muito ativo como causa, uma vez que, faz aumentar a tensão nos maxilares e na boca provocando mais fricção dos dentes e o desgaste e desalinhamento dos mesmos.

O bruxismo, também como consequência duma ação recorrente, leva a dores de cabeça, enxaquecas, dores de ouvido etc.

 

2. Roer as unhas

O stress é também um dos motivos pelos quais as pessoas roem as unhas. Engane-se se acha que este hábito é apenas isso, um mau hábito. É muito mais que isso, e para desconhecimento de muitos, leva a problemas sérios de saúde oral.

Quer saber como?

Os germes das nossas mãos são desta forma transferidos para a nossa boca, o que pode causar infeções bucais ou ainda outras infeções por todo o organismo.

 

3. Aftas

As aftas afetam muita gente e são bastante incomodativas.

Além das dores que infligem, podem provocar mau hálito, afetar o paladar e a nossa alimentação (por ser doloroso comer certos alimentos), e por consequência a nossa saúde no geral.

As aftas desenvolvem-se maioritariamente devido a altos níveis de stress, deficiência de vitamina B, desequilíbrios hormonais ou reações alérgicas.  

 

4. Infeção das Gengivas

Este talvez nunca chegasse a considerar, mas é verdade! Está provado que o stress enfraquece o sistema imunitário e, por isso mesmo, torna mais difícil combater a proliferação de bactérias. Bactérias que existem na nossa boca devido a uma má alimentação, uma má higiene oral, tabagismo ou mesmo falta de visitas ao dentista, ficam com o “caminho livre” para provocar alguns danos.

O que acontece é que as gengivas ficam inflamadas e sangram com mais facilidade.

Tal facto pode facilmente levar a uma gengivite, o que por sua vez, se não for tratada, evolui para uma periodontite - que é uma das principais causas da perda dentária e da destruição óssea.

 

5. Boca seca

Quando estamos nervosos ou sob stress, podemos facilmente ficar com a boca seca. Ou mesmo através de medicação para a ansiedade ou antidepressivos, que têm muitas vezes como efeito secundário uma grande redução da saliva.

A saliva é extremamente importante para proteger a saúde da nossa boca. Não serve apenas para hidratá-la, mas ajuda também a proteger os nossos dentes de cáries, ajuda na digestão e previne infeções.

Ao ter a boca seca, ficamos vulneráveis.  

 

 

Estes são apenas alguns dos problemas de saúde oral nos quais o stress tem influência direta. 

Não esquecer que o próprio stress pode levar também a mudanças de hábitos na alimentação ou até mesmo na nossa rotina e começamos a descuidar da nossa higiene oral.

Como acabou de ler, damos-lhe várias razões que demonstram que o ditado “mente sã, corpo são” não podia ser mais verdade. E mais, podemos até dizer neste caso específico, mente sã, boca sã.  

A saúde mental está definitivamente ligada à saúde oral.

 

Por isso tente levar uma vida equilibrada, com momentos em que pode descansar e desligar da azáfama do dia-a-dia. Procure balancear o trabalho com momentos de descontração e verá que dará por si a lidar melhor com as pressões do trabalho e do que o rodeia.

Ah, e protege a sua saúde.

 

Cuide de si.

A sua boca e o seu corpo agradecem!

 

Relacionado
Saúde Oral
O meu dente caiu! E agora?
By Pedro Guedes | 08/02/2021

Não é fácil para ninguém perder um dente, seja por doença ou por uma simples pancada. Um momento como este exige cuidados, até porque, se um dente caiu, há como reverter esse quadro.

E se ele cai, o melhor a fazer é descobrir o que causou a perda dentária, o que fazer numa situação destas e de que maneira podemos prevenir que isto nos venha a acontecer. Mas o mais importante é saber que existem soluções que resolverão o seu problema, como as oferecidas pelo PNID.

Continue a ler este artigo e tire as suas dúvidas sobre como e o que fazer se, por alguma infelicidade, ou obra do acaso, o seu dente caiu. Vamos lá?

 

O que causa a queda de um dente?

Se o seu dente caiu, este é um sinal de que algo não está bem com a sua Saúde Oral. Seja por causa de uma doença, trauma ou fratura nos dentes ou na parte óssea. Entre os motivos mais comuns para a perda dentária ou extração de dentes estão:

  • Doenças periodontais;
  • Traumas nos dentes;
  • Fratura dentária;
  • Bruxismo;
  • Hábitos que levem a fissuras dentárias.

Entretanto, o maior e principal causador da perda dentária é a falta de cuidado com a própria Saúde Oral, daí que a escovagem dos dentes e o uso do fio dentário sejam tão importantes.

A falta de higiene oral está diretamente relacionada com a ocorrência de cáries ou lesões periodontais, que afetam bastante a raiz e a base de sustentação do dente.

Logo, se o seu dente caiu, não perca a calma nem o controlo, pois num momento como este o próximo passo é saber o que fazer para solucionar o problema da maneira rápida, sem meter a sua saúde em causa.

 

O dente caiu. O que fazer?

 

Se o seu dente caiu, a atitude certa vai depender bastante do motivo que causou a sua queda.

Se o que motivou a perda dentária foi uma doença periodontal, as melhores alternativas são a substituição do dente perdido através da colocação dum Implante Dentário ou de uma prótese removível. De qualquer das formas, ambos os processos só poderão ser realizados por um Médico Dentista expert.

Porém, se o dente caiu por questões acidentais, como uma pancada que sofreu na região da boca, e ainda se encontra inteiro, deve seguir alguns passos para tentar garantir a reimplantação do dente:

  1. Recolha o dente que acabou de cair;
  2. Lave o dente com água corrente e mantenha-o em saliva, leite ou soro até, no máximo, 2 horas;
  3. Vá a um Médico Dentista o mais depressa possível para tentar reimplantar o dente que caiu;
  4. Ainda que a reimplantação seja um sucesso, é fundamental que o paciente recorra também a um Médico Dentista expert, pois pode ser necessário realizar um tratamento de canal. 

Agora que já sabe o que fazer se algum dos seus dentes vier a cair, é preciso ter ainda mais perspicácia e entender como prevenir a queda dos dentes.

 

Prevenção da queda de um dente

Como uma das principais causas está associada a doenças periodontais, a melhor forma de preveni-las é cuidar da sua Saúde Oral. Como por exemplo, fazer a escovagem dos dentes três vezes ao dia e o uso do fio dentário e de elixires orais. Além, é claro, de se consultar regularmente com um Médico Dentista para verificar se a sua Saúde Oral anda bem.

Já para quando o dente caiu devido a alguma lesão física, o que se pode fazer é ter mais cuidado na prática de desportos e de qualquer outra atividade que apresente mais risco, para que não se aleije na região da boca.

Assim sendo, se o seu dente caiu, o melhor a fazer é entender o que motivou a queda do dente, ou dos dentes em questão, e cuidar adequadamente da sua Saúde Oral, para que os restantes dentes não venham a cair também. Esta será sempre a melhor forma de prevenção da queda dentária.

 

Como o PNID contribui para recuperar os seus dentes

O nosso objetivo é estar o mais próximo possível dos nossos pacientes, por isso, temos várias clínicas espalhadas por todo o território nacional. Além de Portugal, contamos também com duas clínicas, em Londres e Paris, permitindo que mais pacientes na Europa tenham acesso a tratamentos dentários de excelência na área da Implantologia.

Oferecemos consultas de avaliação oral sem compromisso, para que possa saber, ao certo, quais são as suas necessidades e como pode tratar da sua Saúde Oral. Não custa nada, só precisa de partilhar os seus dados connosco e esperar pelo nosso contacto, para que possamos marcar a consulta para o dia e hora que lhe sejam mais convenientes.

Saúde Oral
Limpar a língua ajuda a prevenir o mau hálito. Saiba como!
By Pedro Guedes | 01/02/2021

É muito bom ter um hálito fresco e agradável para poder conversar com os amigos, rir com os familiares ou beijar a pessoa que amamos. Não acha?

Mas, para isso, é necessário cuidar corretamente da sua Saúde Oral. E quando falamos deste tema devemos perceber que não se trata apenas de escovar os dentes ou usar o fio dentário. É fundamental cuidar também da higiene da língua, para evitar problemas como o mau hálito.

O mau odor oral pode ser causado por diferentes fatores, sendo o principal deles a má higiene da língua. E pode sempre resolver este problema, seja com a ajuda de um Médico Dentista ou com simples mudanças de hábitos de higiene oral.

Continue a ler este artigo, porque ainda lhe vamos dizer quais são os principais causadores do mau hálito e como resolver cada um deles, mostrando-lhe também como limpar a sua língua, para evitar que esses males aconteçam. Preparado? Então, vamos lá!

 

Algumas causas e formas de prevenir o mau hálito

Não existe apenas uma causa possível para o mau hálito. Enumerámos algumas abaixo, explicando também o melhor caminho para acabar com cada uma delas.

 

Beber pouca água

Quando uma pessoa bebe pouca água, as suas glândulas salivares começam a produzir menos saliva, prejudicando uma das principais funções da saliva na boca: ajudar à sua limpeza. Isto faz com que fiquemos com mau hálito.

Para evitar o problema, a resposta é muito fácil: beba bastante água, pelo menos 2 litros por dia. Seguindo esta dica manterá o mau hálito longe de si, para além de manter o seu corpo sempre bem hidratado.

 

Stress

O stress também é um dos possíveis causadores do mau hálito, e vamos explicar-lhe o porquê.

O stress ajuda a liberar algumas hormonas que acabam por interferir no funcionamento normal do nosso organismo, inclusive da nossa boca. Na boca, essas hormonas afetam consideravelmente a ação das nossas glândulas salivares, fazendo com que haja uma diminuição da produção de saliva, de que já falamos anteriormente, e que é responsável pela limpeza oral.

Logo, se estiver a passar por algum período mais stressante, procure ajuda profissional para não sofrer com esse problema e, consequentemente, com o mau hálito.

 

Alimentação

A ingestão de alguns alimentos também pode ser uma das causas do mau odor oral. Alimentos como alho, cebola, derivados do leite, atum, podem provocar mau hálito. Por isso, controle a quantidade e a frequência com que ingere estes alimentos.

 

Falta de higiene da língua

No entanto, os maiores motivos para que se tenha mau hálito são: não realizar regularmente a limpeza da sua língua ou não saber como fazê-lo de forma adequada.

A maior e grande culpada pelo mau odor oral é a saburra lingual, aquela matéria esbranquiçada ou amarelada que se acumula na língua e que é formada por células mortas e muco produzido pela boca, propiciando a formação de placas bacterianas.

Apesar de o aparecimento da saburra também estar associado a desequilíbrios gastrointestinais, a doenças renais ou hepáticas, a sua causa mais comum é mesmo a falta de higiene oral.

 

Como limpar a língua

Para acabar de vez com o mau hálito, não há grandes segredos: basta cuidar da sua Saúde Oral. Faça, diariamente, tanto a escovagem dos dentes quanto o uso do fio dentário, para evitar que restos de alimentos se acumulem na sua boca e língua.

Porém, apenas estes dois cuidados não bastam! É extremamente importante que também fique atento à higiene da sua língua e faça, todos os dias, a sua limpeza, com um raspador de língua, para que consiga retirar a saburra, que é uma das principais responsáveis pelo mau hálito.

Mas, algumas pessoas não se habituam a utilizar estes instrumentos. Nestes casos, a melhor alternativa é utilizar a escova de dentes, ou a parte de trás que algumas escovas, que têm rugosidades precisamente para esse efeito.

Quanto à frequência da escovagem da língua, recomenda-se que seja feita de manhã e à noite, antes de ir se deitar. Os elixires orais também são indicados, já que ajudam a eliminar as bactérias presentes na boca. Mas tenha cuidado com o seu uso excessivo e com os ingredientes. Os que têm álcool, por exemplo, podem ser prejudiciais para as mucosas da boca.

Como pôde ver, o mau hálito é um problema fácil de ser tratado. Basta manter os cuidados de higiene oral, em especial da língua.

Também é importante ir regularmente ao Médico Dentista, para que ele possa acompanhar e tratar o mau hálito, caso a situação seja mais complicada de resolver. Tratar e resolver este problema é o melhor caminho para que volte a recuperar a confiança, autoestima e bem-estar.

Se gostou deste artigo, partilhe-o com os seus amigos e familiares. E, se gosta de estar informado sobre as doenças e o universo da Medicina Dentária em geral, continue a acompanhar este blog.

Saúde Oral
Manchas nos dentes: quando devo ir ao médico dentista?
By Letícia Beilfuss | 19/01/2021

Estava a escovar os seus dentes, olhou-se ao espelho e identificou manchas nos dentes. E agora? O que poderá ser?

As manchas nos dentes são muito mais comuns do que possa imaginar. Grande parte delas são pequenas, e isso faz delas fáceis e rápidas de remover. Porém, há as que são mais complicadas e necessitam de um diagnóstico para o tratamento.

Saiba mais sobre as manchas nos dentes e quando há motivos para se preocupar.

 

Categorias de manchas nos dentes

Os Médicos Dentistas separam as manchas nos dentes em duas categorias: as intrínsecas (manchas internas) e as extrínsecas (manchas na superfície).

As extrínsecas são as que ocorrem devido ao excesso de consumo de alguns alimentos, bebidas ou até de alguns hábitos. Já  as manchas intrínsecas, que aparecem na parte de dentro dos dentes, são consequência do uso do antibiótico tetraciclina, fluoreto dental (uso e ingestão de flúor na infância de forma incorreta) ou dentes com algum trauma.

 

O que causa manchas escuras nos dentes?

Manchas na superfície (extrínsecas) e descoloração podem ser causadas por:

  • Tabaco (tanto fumado como mastigado);
  • Ingestão de café, chá, ou vinho tinto;
  • Ingestão de alimentos altamente pigmentados, como cerejas e amoras;
  • Acumulação de tártaro, resultante da placa bacteriana endurecida.

 

Manchas internas (intrínsecas) podem ser causadas por:

  • Tratamento com o antibiótico tetraciclina durante o período de formação dos dentes;
  • Aparência amarelada ou acinzentada dos dentes, como parte do processo de envelhecimento;
  • Trauma nos dentes, que pode resultar na morte do nervo do dente, conferindo-lhe uma cor acastanhada, acinzentada ou preta;
  • Ingestão excessiva de flúor durante a formação dos dentes (desde o nascimento até os 16 anos), o que dá ao dente uma aparência manchada.

 

Como eliminar as manchas dos dentes?

Antes de pensarmos em eliminar as manchas dos dentes, devemos pensar na prevenção. Uma maneira eficaz de evitar essas manchas é diminuir a ingestão de alimentos com corantes e eliminar o tabaco e outros hábitos que pigmentem os dentes.

Mas, para eliminar as manchas dos dentes, existem alguns alimentos que podem ajudar, como:

  • Abacaxi - tem uma enzima chamada bromelina, que remove naturalmente as manchas;
  • Morango - a fruta contém ácido málico, um adstringente natural que ajuda a retirar manchas;
  • Cenoura - por conter vitamina A, ajuda a proteger o esmalte dos dentes. 

 

As manchas nos dentes podem ser cáries?

Além das manchas amareladas, muitas pessoas observam pintas pretas nos dentes, parecidas com as cáries. Mas nem sempre um ponto preto nos dentes é sinal da existência de cáries. Pode ser um indicador dessa doença, mas também é possível que tenha outro motivo. Pode ser apenas um alimento preso na fissura do dente, uma pigmentação de corantes de alimentos ou de medicamentos, ou até uma mancha provocada por bactérias.

De qualquer forma, mesmo que não tenha uma cárie, é importante procurar o seu Médico Dentista para avaliar a sua Saúde Oral e tomar os cuidados necessários, caso tenha manchas nos dentes.

É difícil diferenciar o tipo de mancha, e apenas um profissional capacitado poderá perceber do que se trata.

 

Quando me devo preocupar com as manchas nos dentes?

Caso o ponto preto realmente signifique que tem uma cárie, esta deverá ser tratada o mais depressa possível. E a melhor forma de resolver o problema é através duma restauração. Este é o processo no qual a cárie é retirada com uma técnica mecânica e é escolhido o melhor material para restaurar o dente afetado. Se a cárie não for tratada a tempo, irá evoluir, e a melhor opção poderá passar pelas porcelanas, que têm uma resistência maior.

Esteja atento e consulte sempre o seu Médico Dentista de confiança!