Marcação Online
Ligue Grátis
Fale Connosco

Blog

Não guardamos segredos. Queremos partilhar tudo consigo! Fique a par do Universo PNID!

Saúde

O Tabaco e os seus Dentes

By Maria Silva | 21/09/2017

Costuma fumar cigarros? Então está a colocar a sua saúde em risco cada vez que decide pegar num cigarro e coloca-lo na sua boca.

O tabaco é constituído por mais de 4000 substâncias, algumas com efeitos tóxicos, outras com efeitos cancerígenos. O seu consumo prolongado é responsável por alguns dos seguintes problemas:

Mau hálito

Pode acontecer através da ingestão de alguns alimentar, mas o mau hálito é um problema que afeta uma grande parte dos fumadores. A escovagem dos dentes ou a ingestão de uma pastilha elástica ou rebuçado procuram minimizar esse problema, mas nem sempre é possível.

Descoloração da dentição

O uso prolongado de tabaco faz com que os dentes percam a sua coloração normal e fiquem cada vez mais escuro/amarelos. Devido ao facto de essa mudança de cor acontecer gradualmente, faz com que muitas vezes não se aperceba que o mesmo está a acontecer.

Aumento de doenças nas gengivas

O fumo pode danificar o tecido da gengiva e causar retração da mesma — ficando as raízes dos dentes expostas. Para além disso, aumenta o risco de queda dos dentes e fica com mais sensibilidade às diferenças de temperatura.

Diminuição da capacidade de recuperação depois de extrair um dente

Uma pessoa que fuma tem um tempo maior de recuperação após a extração de um dente. Isto acontece porque a sua boca está mais debilitada.

Inflamação das glândulas salivares

Situadas por detrás do ângulo do maxilar, as glândulas salivares ficam mais propensas a inflamações, o que causa uma redução da produção de saliva e fica com a boca mais seca.

Acumulação de tártaro

Com o passar do tempo, começa a ocorrer uma acumulação de tártaro junto dos dentes. Isso pode obriga-lo a fazer limpezas dentárias no seu dentista mais vezes para remover o tártaro.

Aumento do risco de ter cancro oral

Esta é uma doença que progride rapidamente e poderá ser fatal se não for diagnosticada e tratada atempadamente.

Para além destes fatores todos, existe outro que não pode ser ignorado: a poupança que vai conseguir ao deixar de fumar. Se fuma 1 maço por dia (valor médio de 4€), ao final de mês já poupou 120€ e ao fim de um ano, são 1460€ que poupou!

De que está à espera para deixar de fumar e ter o sorriso que sempre quis?

Inscreva-se já hoje no Programa Nacional de Implantes Dentários

Relacionado
Mais Saudavel
Sorriso saudável com implantes dentários na terceira idade
By Monica Manske | 14/01/2020

Com o envelhecimento da população a acontecer a nível mundial, por causa do aumento da esperança média de vida, é natural que se verifique um crescimento do número de pessoas que sofrem com problemas de saúde, de modo geral, o que inclui a saúde oral e a perda dentária – fatores que impedem que as pessoas tenham um sorriso saudável e influenciam diretamente a sua qualidade de vida e também a autoestima. Os implantes dentários revertem precisamente este tipo de tendência, sendo estes fatores alguns dos motivos pelos quais o tratamento é procurado.

Milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de perda de dentes causada por acidente (doméstico, desportivo, automobilístico, entre outros), doenças das gengivas, desgaste ósseo, traumas e muitos em consequência da falta de cuidados de higiene oral ao longo da vida, somados à falta de visitas regulares ao dentista. Em Portugal, especificamente, esse número pode chegar aos 7 milhões de pessoas – um número bastante alto, quando consideramos que a população portuguesa é de cerca de 11 milhões de habitantes. Para não se tornar uma situação tão alarmante, é importante ter consciência que para todas as situações de problemas orais, da mais simples até à mais complexa, têm solução. Seja uma cárie, halitose ou perda dentária, os tratamentos dentários modernos existem para que a sua saúde oral seja sempre salvaguardada e o seu sorriso fique perfeito e saudável, sem dor ou desconforto.

 

O que compromete um sorriso saudável?

Perder dentes é uma experiência emocionalmente traumática, especialmente quando envolvem os dentes da frente. O sorriso fica feio, incompleto, compromete a nossa estética e, além disso, prejudica a capacidade de falar e de se comer corretamente. Mas, atenção: a perda dentária frontal tem mais impacto visual, mas qualquer dente perdido afeta toda a sua arcada dentária, quando não é feita a sua reposição o mais rápido possível, pois causa a mobilidade dos dentes e também leva à perda óssea. Seja qual for o dente perdido, essa perda faz com que um sorriso saudável esteja mais distante e que possa ser um candidato apto a colocar implantes dentários.

Do que vimos até aqui, faz sentido destacar 3 questões.

 

Quais os problemas dentários mais comuns com o avançar da idade?


Os problemas mais comuns que surgem com a idade são as cáries, principalmente nas raízes dos dentes. Além deste problema tão comum, que afeta uma grande percentagem da população, inclusive crianças e jovens, são frequentes as gengivites e inchaços nas gengivas, e outras inflamações que levam a perda dentária e alterações funcionais na mastigação. Nos casos em que há má higiene oral, a halitose também está presente, sendo agravada quando se é fumador.

Uma gengivite não tratada agrava-se e transforma-se numa periodontite que, se não for tratada corretamente e em tempo útil, causa perda dentária. Neste caso, a solução é recorrer a próteses e implantes para substituir o dente perdido, de forma a não comprometer ainda mais a sua saúde oral e a conseguir preservar a integridade da parte óssea.

Reforçamos que os problemas dentários têm soluções simples, quando diagnosticados numa fase inicial, como acontece com qualquer problema de saúde. Quanto antes interceder pela doença, mais rápida e fácil é sua solução.


Com a idade, estes problemas podem ser corrigidos com implantes dentários, para se ter um sorriso saudável?


Sim, para todos os casos há uma solução ideal e quanto mais cedo corrigir o problema, melhor! A verdade é que, com a idade, os dentes podem sofrer alterações de cor, ficando mais amarelos; alguns dentes parecem mais longos, devido à retração gengival; ou mais curtos, por causa do desgaste. Por isso, tenha sempre em mente que deve de cuidar da sua Saúde Oral. O médico dentista é o profissional capacitado para avaliar os seus dentes e indicar o melhor tratamento. Às vezes, uma higienização profissional é o suficiente para resolver o seu problema. Noutros casos, pode precisar de um tratamento mais completo, para ter de volta o seu sorriso saudável e bonito. E, mesmo quando já existe perda dentária, os tratamentos modernos existentes no mercado são seguros e confiáveis – o seu sorriso pode ser recuperado e a sua autoestima é renovada. Uma técnica bastante aplicada na perda dentária são os implantes, seguros e confortáveis para o paciente.

Mas, então, como posso manter um sorriso saudável na minha idade?

Esta pergunta tem uma resposta muito fácil. Não há mistérios para manter a boa saúde oral e o sorriso saudável em qualquer idade, mesmo quando já está na "casa" dos 50, 60, 80 ou mais anos. A sua dentição deve ser bem cuidada em qualquer idade, e deve dar-lhe especial atenção na terceira idade.

A dica para manter a saúde oral em dia em qualquer idade é: marcando uma consulta de avaliação oral com o seu dentista, fazendo visitas regulares, a cada 6 meses ou 1 vez por ano. Só desta forma é que poderá́ identificar os problemas orais da sua boca – seja uma simples cárie ou alguma inflamação que comprometa mais profundamente a sua saúde oral – e procurar soluções. Os tratamentos que, atualmente, tem à sua disposição são indolores, recuperam a sua saúde oral e devolvem o seu melhor sorriso com técnicas e materiais altamente modernos. Além disso, a expertise dos profissionais que se  atualizam constantemente faz com que o seu sorriso esteja em boas mãos. No caso de pacientes com perda dentária, certamente que o médico dentista recomendará que opte pelos implantes dentários, devido à sua naturalidade, segurança e eficácia.

Vamos falar um pouco do poder do sorriso saudável na terceira idade?

Se a sua saúde oral está em dia, o seu sorriso deverá ter um bom aspeto. Com os implantes dentários pode:

- Sorrir livremente

- Falar sem constrangimentos

- Comer tudo que deseja, sem dor

- Deixar de sentir medo ou vergonha de falar em público

- Beijar à vontade, com hálito fresco e dentes fixos

- Recuperar a sua autoestima

- Sentir confiança e segurança na presença de outras pessoas

- Garantir que a sua aparência será rejuvenescida

Gostou do que leu? Sente-se disposto e confiante a cuidar melhor da sua saúde oral e a ponderar a colocação de implantes dentários, independentemente da sua idade? Se sim, procure orientação profissional e faça uma avaliação oral para diagnosticar problemas e encontrar o tratamento ideal para o seu caso.

Pense bem em todas as mais-valias dos implantes dentários e de um sorriso saudável, e perceba como é bom estar bem consigo mesmo.

E lembre-se que uma boa saúde oral e um sorriso saudável e brilhante são o verdadeiro cartão de visita para qualquer pessoa.

Implantes
Implantes dentários: cuidados a ter no pré-operatório
By Mariana Mantovani | 09/01/2020

Quem acompanha o nosso blog já sabe que os implantes dentários são a opção mais indicada para substituir um ou mais dentes perdidos, assim como aqueles que estão em mau estado. O tratamento é uma solução avançada e segura para devolver dentes saudáveis com naturalidade, conforto e segurança, promove a qualidade de vida e contribui para a autoestima das pessoas. Se está a pensar em fazê-la, verifique os cuidados a ter no pré-operatório. 

Com os implantes, algumas situações, como conversar, sorrir e alimentar-se são transformadas em momentos de pura satisfação e alegria. A cirurgia para a colocação de implantes dentários, quando planeada e realizada por um médico dentista expert em implantologia dentária, é totalmente segura.

Antes dos cuidados a ter no pré-operatório, saiba rapidamente o que são os implantes dentários

Feitos de titânio, os implantes dentários são "parafusos" colocados dentro do osso do paciente para substituir a raiz do dente perdido ou comprometido. Geralmente, são recomendados a pessoas que perderam um ou mais dentes. Depois de implantando o "parafuso", coloca-se a coroa do dente. Geralmente feita de porcelana, entre outros materiais, a coroa é colocada na parte externa ao osso e contribui, entre outras necessidade, para as funções estética e de mastigação dos alimentos.

Para os casos de perda dentária avançada, o mais recomendado são as próteses fixas, que são arcadas completas, inferiores e superiores, já com todos os dentes implantados. Cada vez mais modernas, as próteses fixas são cada vez melhores e fazem toda a diferença não apenas na estética, mas, principalmente, na qualidade de vida do paciente: já existem no mercado da implantologia dentária próteses fixas que exigem a colocação de apenas quatro implantes em cada arcada, facilitando o processo cirúrgico, a recuperação do paciente e contribuindo para funções básicas em que a boca e os dentes são fundamentais, como comer, falar e alimentar-se. 

Como em qualquer procedimento, a colocação dos implantes dentários e das próteses fixas necessita de cuidados específicos. Fala-se muito sobre os implantes dentários, mas para saber que cuidados são estes, convido-o a ler o próximo parágrafo, que trata exclusivamente do assunto.  

Cuidados a ter no pré-operatório: saiba quais são 

Assim como em várias situações na nossa vida, para os cuidados com os dentes também há um passo-a-passo a seguir. Se o tema for a colocação dos implantes dentários, os cuidados a ter no pré-operatório são fundamentais. Portanto, para o ajudar a entender que cuidados são esses e fazer com que siga o passo-a-passo adequadamente, tenha especial atenção às 9 dicas que preparámos para si. 

 

1 - Escolha da clínica

 

De todas as dicas que daremos a seguir, todas são importantes, mas, quando se decide fazer uma cirurgia para a colocação de implantes dentários, é fundamental que se escolha uma clínica de confiança, com médicos dentistas preparados e experts em implantologia dentária, equipamentos modernos e seguros, e uma equipa de atendimento que tenha um cuidado humano com os pacientes. 

2 - Anamnese 

O nome é estranho, mas o significado é simples. Anamnese está nas primeiras posições da lista dos cuidados a ter no pré-operatórios e nada mais é do que a primeira consulta com o médico dentista para que ele possa conhecer o seu histórico e as condições de saúde oral e de todo o seu organismo.

É importante saber que para a realização da cirurgia de implantes dentários a sua saúde oral precisa de estar em dia. 

Portanto, este primeiro contacto é muito importante também para identificar doenças que possa ter, como diabetes, hipertensão ou doenças cardíacas. É durante esta consulta de avaliação oral que será possível ter o diagnóstico completo da sua saúde oral e identificar se há outros procedimentos necessários antes de ser feita a cirurgia para a colocação dos implantes dentários. 

3 - Exames clínicos

A segunda parte fundamental na lista dos cuidados a ter no pré-operatório são os exames clínicos. Estes irão confirmar as condições da sua saúde oral e fazer com que o médico dentista possa avaliar quais os tratamentos necessários antes da colocação dos implantes dentários. Talvez seja necessário tratar de uma cárie, ou de alguma doença periodontal, como a gengivite, ou até identificar outros problemas que nem sempre são simples de perceber. 

4 - Exames de imagem

Exames de imagem, como o raio-X e a tomografia, fazem parte deste passo. A partir deles, o médico dentista pode conhecer ainda melhor a boca do paciente, avaliar a espessura e a qualidade do tecido ósseo para saber se de facto é possível fazer a colocação dos implantes dentários. É também a partir dos exames clínicos, de imagem e todos os cuidados a ter no pré-operatório que é possível identificar qual o tipo de implante mais indicado - se os implantes unitários ou as próteses fixas, entre outras necessidades médicas. São também estes exames que auxiliam a decidir qual a direção e a posição adequadas para a colocação dos implantes.

5 - Exames laboratoriais

Também fazem parte dos cuidados a ter no pré-operatório os exames laboratoriais, como o hemograma completo, glicemia, coagulograma, sódio, potássio, ureia e creatina. É importante saber que para as pessoas que tenham complicações sistémicas podem ser pedidos exames de risco cirúrgico.

6 - Medicamentos no pré-operatório

Depois de realizados todos os exames, estará quase pronto para o processo cirúrgico. Pode vir a ser necessário o uso de medicamentos antibióticos e anti-inflamatórios para evitar infeções ou outros problemas. O médico dentista que o atender saberá orientá-lo da melhor maneira. 

7 - Alimentação

O cuidado com a alimentação deve, sim, ser pensado durante os dias que antecedem a cirurgia. Até porque ninguém quer acordar no dia do procedimento indisposto por causa do que comeu no dia anterior, não é?! Então, para evitar problemas ou imprevistos, opte por alimentos mais leves nos dias antes da colocação dos implantes dentários. 

8 - Boa noite de sono

Ainda que pareça simples, descansar e ter um sono adequado é fundamental para garantir todo o processo que vem depois. Não sei se sabe, mas enquanto dormimos o nosso corpo trabalha para que tudo continue a funcionar perfeitamente no nosso organismo. Portanto, tome nota: organize as tarefas durante o dia, assim não terá preocupações pendentes, e deixe a noite para renovar as energias.

Ter cuidado com o que se faz é uma das condições que vai determinar o sucesso daquilo que foi feito, seja a colocação de implantes dentários ou simplesmente uma receita para alimentar os amigos ou a família ao jantar. Para entender um pouco melhor sobre isso, continue a ler o nosso artigo. 

9 - Deixe o medo de lado

Sabia que a taxa de sucesso das cirurgias para a colocação dos implantes dentários é de mais de 95%? 

Sim, é isso mesmo! Para a cirurgia, é administrada uma anestesia local, que permite que não sinta nada durante o procedimento. Além disso, não precisa de ter medo de ir ao médico dentista: eles estão preparados para o ajudar no que for necessário para garantir a sua saúde e sorriso renovado.

Já fez a sua parte, certo? 

- escolheu uma clínica de confiança com médicos dentistas experts em implantologia dentária;

- realizou os exames solicitados;

- confirmou que não tem nenhuma doença ou complicação - ou se tinha, já foi acompanhado com o tratamento necessário para resolver a situação e garantir que mantém a sua saúde oral;

- tomou os medicamentos prescritos pelo médico, da maneira como foram orientados;

- teve cuidado com a alimentação nos dias que antecederam o procedimento;

- teve uma boa noite de sono.

A próxima etapa é com o médico dentista no qual confiou para realizar o tratamento que o fará sorrir novamente. 

Os benefícios dos implantes dentários são muitos

A colocação dos implantes dentários vai transformar a sua vida, tantos são os benefícios que estes proporcionam. O sorriso começa a aparecer, tal como a autoestima, os alimentos são saboreados com mais prazer e o corpo passa a absorver mais vitaminas - já que a mastigação melhora e muito. A relação com as pessoas passa a ser mais leve e divertida - pois deixa de existir a sombra da vergonha por não ter dentes na boca, e vai sentir-se mais seguro e confiante.

Além disso, doenças ou complicações na boca e em todo o organismo podem ser evitadas com a colocação dos implantes dentários, sabia?

Entretanto, para que tenha uma cirurgia tranquila e uma recuperação adequada, os cuidados a ter no pré-operatório somados à cooperação do paciente são fundamentais para o sucesso do procedimento.

Agora que já sabe de todos os cuidados a ter no pré-operatório, relaxe e espere pelo dia da sua cirurgia.

Mas, caso ainda não tenha uma clínica de confiança, faço um convite especial:

Conheça o Programa Nacional de Implantes Dentários e garanta os melhores cuidados a ter no pré-operatório

O PNID tem uma equipa completa para o atender quando precisar, inclusive aos sábados e feriados. Só ele tem os melhores médicos dentistas experts em implantologia dentária, que já resolveram mais de 40.000 casos de sucesso de norte a sul de Portugal.

Com o PNID tem uma consulta de avaliação oral sem custos, com raio-X, e a certeza de que fez a melhor escolha para recuperar a saúde da sua boca e dos seus dentes.

Aproveite que está a pensar em ter dentes novamente e saiba como escolher a melhor clínica de implantes dentários.

BLOG
Dores de dentes, nunca mais!
By Maria João Fernandes | 08/01/2020

Dores de ouvidos, de cabeça, ou dor de dentes… Só quem passa por isso é que sabe como este tipo de dores nos afeta, nos deixa cansados, e até irritados — uma vez que acaba por comprometer a nossa rotina e as nossas atividades do dia-a-dia. O que mais queremos é livrar-nos delas — mas por vezes, temos que ficar atentos às causas, e não apenas aos sintomas.

No caso específico da dor de dentes, é um sintoma que afeta crianças, jovens e adultos até uma idade mais avançada e as causas são bastante variadas, podendo, por vezes, indicar doenças que precisam de avaliação e tratamento profissional.

As principais causas que vamos abordar neste artigo são as que têm origem na própria boca, como uma cárie, sensibilidade dentária ou gengivite mas também traumas e acidentes que podem afetar a dentição.

Antes de tudo, é importante entender que o dente é formado por partes:

  • Raiz – é a parte que dá estabilidade ao dente e fica dentro dos ossos da boca;

  • Esmalte – é a parte externa, sendo a mais dura do corpo humano;

  • Dentina – parte que fica entre o esmalte e a polpa, também muito dura, e que absorve os impactos externos;

  • Polpa – é a parte viva do dente, cheia de terminações nervosas e vasos sanguíneos. É a polpa que nos dá sinais importantes através da dor.

 

Conheça os diferentes tipos de dor de dentes!

  • Sensibilidade momentânea a alimentos quentes e frios, que pode ser causada por uma leve corrosão da gengiva ou alguma exposição da raiz. Também pode ocorrer após algum tratamento dentário que acabe por afetar a polpa.

  • Dor ao morder algum alimento – indica corrosão do esmalte dos dentes, um dente rachado ou até mesmo quando um dente está um pouco solto.
  • Dor que se prolonga – quando comemos alimentos quentes ou frios e depois de alguns segundos a dor de dentes permanece, é sinal de que a polpa do dente está danificada e pode ser necessária alguma intervenção profissional.

  • Dor mais aguda, seguida de inchaço da gengiva e sensibilidade – podem ser sintomas de problemas inflamatórios, como a gengivite.

  • bruxismo causa uma dor mais específica, que afeta a arcada inteira – causando pressão e inclusive dores de cabeça.

 

É importante entender quais as causas destes tipos de dor de dentes e como tratá-las:

  • Uma das causas mais comuns para a dor de dentes são as cáries – que são resultado da falta de higiene oral e do consumo abusivo de alimentos e bebidas açucarados. A cárie começa com pequenos orifícios no dente que ficam cada vez mais fundos pela corrosão das bactérias, atingindo a polpa do dente e causando dores durante a alimentação.
  • O desgaste do esmalte do dente também causa dor, por deixar o dente exposto, sem proteção e, consequentemente, mais sensível. Esse desgaste ocorre pela ingestão de alimentos abrasivos, como os refrigerantes. Quando escovamos os dentes de forma errada também prejudicamos o esmalte. E, por fim, branqueamentos feitos sem acompanhamento profissional também podem ser a causa do desgaste do esmalte dentário, acabando por causar dor.
  • A retração nas gengivas, provocada por inflamações como gengivites e periodontites, também causa dor de dentes, necessitando de acompanhamento profissional para que o problema não se agrave e conduza à perda dentária. Nesses casos, o problema começa nas gengivas e nos ossos, devido à presença de placa bacteriana.
  • Por fim, citamos os dentes rachados ou partidos devido a algum acidente, queda, ou simplesmente por morder algum alimento demasiado duro. Esta situação pode expor a polpa e ser a causa de uma dor de dentes.

 

O que devo fazer?

Observe o tipo da dor que sente e as possíveis causas mencionadas acima.

Ao sentir dor de dentes, a primeira coisa a fazer é ir ao médico dentista para que este possa fazer o diagnóstico do seu problema e indicar qual o tratamento adequado para o seu caso. Entretanto, pode sempre recorrer a um analgésico mas a visita ao dentista é fundamental, especialmente para evitar que o problema se agrave e que o tratamento seja mais complexo.

 

Dicas para aliviar a dor de dentes:

  • Às vezes, a causa da dor de dentes pode ser o resto de algum alimento que ficou preso entre os dentes, acabando por causar irritação ou inflamação. Experimente passar o fio dentário no local da dor e escovar os dentes  — a tendência é que a dor alivie.
  • Uma técnica caseira muito simples e que também é bastante recomendada é bochechar água com um pouco de sal. Esta solução ajuda a limpar a boca e a combater micro-organismos causadores da dor. Para fazê-lo corretamente, siga os seguintes passos: dilua 1 colher de chá de sal num copo de água. Faça bochechos de 1 em 1 hora, durante 30 segundos. Atenção: não engula a água.
  • Faça compressas com gelo: para ajudar a aliviar a dor de dentes mais rapidamente, pode colocar uma bolsa de gelo no rosto, próximo à área que está dorida. Tenha cuidado para não queimar a pele com o gelo. Tente aplicar durante 15 minutos e repita o procedimento 3 vezes durante o dia. Observe se os sintomas aliviam.
  • Outra técnica caseira que ajuda a aliviar a dor de dentes é usar cravo-da-índia. Sim! O cravo-da-índia tem propriedades analgésicas e anti-bacterianas, ajudando a combater infeções e a aliviar a dor e a inflamação. Para utilizá-lo, há duas opções: em óleo ou o próprio cravo. No caso do óleo, deve-se colocar diretamente no dente inflamado 3 vezes ao dia com a ajuda de um cotonete — ou molhar uma gaze limpa num pouco de óleo essencial de cravo-da-índia e massajar a gengiva à volta do dente afetado. Outra forma de aliviar a dor de dentes é mastigar 1 cravo-da-índia: com a sua ação antissética e o ato de apertar o cravo entre os dentes, pode ajudar a combater o desconforto causado por uma dor de dentes leve.
  • Use analgésicos — dependendo da causa da dor de dentes, pode ser o único método que trará alívio para a dor enquanto não vai ao médico dentista. Opte pelo analgésico que costuma utilizar no seu dia-a-dia.

Lembre-se! Nenhuma destas dicas substitui uma visita ao médico dentista da sua confiança. 

Por isso, se perceber que estas dicas não ajudaram a aliviar a dor de dentes ou se estas se agravarem, não adie a sua ida ao consultório do dentista. Quanto mais rapidamente diagnosticar as causas e tratar corretamente o seu problema dentário, mais depressa evitará que a situação se agrave e que a solução seja mais complexa e demorada.

 

Recordamos que a dor de dentes pode ter causas simples, mas também pode ser um sintoma de gengivites e periodontites, doenças que podem conduzir à perda dentária.

Cuide da sua saúde oral!

Quer receber conteúdos exclusivos, promoções e novidades que o vão ajudar a conseguir um sorriso de sonho?

Subscreva a nossa newsletter.

Li e aceito os Termos e Condições